02 novembro 2010

Caritas

Sabendo que grande parte do inestimável público do Oito e Coisa é avesso à Igreja Católica Apostólica Romana, faço, ainda assim, um apelo: vão às vossas paróquias, mesmo ao pé de casa, sem grande esforço, e contribuam com o que puderem.

A Igreja, independentemente das vossas crenças, é quem desde há séculos está mais próxima de quem precisa e tem como missão primordial a assistência. A organização, a logística, a identificação das necessidades, todo este trabalho já está feito, mas precisa de ajuda para ajudar tantos mais que hoje vêm pedir ajuda.
As roupas e os sapatos que já não usam assim tanto, podem valer muito a outros. Especialmente os de criança, que eles crescem rápido e as coisas deixam de servir num instante. Aproveitem as limpezas antes do Natal para pôr os brinquedos em ordem e dêem os que ainda estão completos.
Se as velhotas chatas da sacristia vos olharem de lado, não liguem, foram lá por outra razão e por uma razão bem maior. Se não gostarem do pároco, vão a outra paróquia. Vão à Santa Casa da Misericórdia, vãos às Ipss, mas vão! No Banco Alimentar, pensem com que ingredientes alimentariam a vossa família por mais tempo e ofereçam-nos.

Não querem ou não podem ir, à distância de um clique no home banking ou no MB podem fazer um donativo para o “Fundo Social Solidário” da Caritas Portuguesa:

NIB 0033 0000 0109 0040 15012

MB
Entidade: 22 222

Referência: 222 222 222

Ou

Praça Pasteur, nº 11 - 2º Esq., 1000-238 Lisboa

Sobretudo, deixemos de ser indolentes!

5 comentários:

Manyfaces disse...

Eu também pensava ter-me livrado do jugo tenebroso da Igreja Católica até ter de alombar com o andor de Nossa Senhora na festa da minha aldeia. Importa lá se sou crente ou não... Importava que não havia 4 pessoas capazes de levar o andor às costas e a procissão não ia deixar de sair por causa disso. Havia colchas nas janelas, pessoas devotas à espera, crianças felizes com velinhas nas mãos... No fim do dia o que conta é que o andor saiu mesmo da Igreja, alimentou a fé de quem a tem, animou as crianças, abriu o apetite para o frango assado. E isso tudo teve uma utilidade concreta e palpável. O resto não me interessa...

sem-se-ver disse...

manyfaces, faria o mesmo.

oito, caritas, claro. não tenho dúvidas.


(e bem sabeis como ateia me confesso. and so what?)


(o que mais me choca nos morticínios levados a cabo em igrejas, como aquele recente, é não se respeitar a casa de deus que, durante séculos, foi abrigo e, durante séculos, alvo de ataques quando a barbárie se instalou.)

(etc)

sem-se-ver disse...

*Deus

sete e pico disse...

uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

que eu nao goste que a igreja catolica seja tratada como um agente politico e económico e que interfira com o Estado laico que defendo e que nao me identifique minimamente com a estutura e as tradiçoes da igreja católica é uma coisa. Que eu reconheça que há gente muito boa e que faz um bom trabalho de apoio social em seres humanos em situaçao de exclusao, que poderia ser qualquer um e qualquer uma de nós, é outra coisa.

e ainda outra coisa, ainda que possa ter críticas a determinados modelos de ajuda, reconheço que sao importantes e faço barra contigo no chamado contra a indolência

foi dançar a bossa nova disse...

Manyface,
A utilidade não são foi concreta e palpável, como de uma maravilhosa sensibilidade!
Sem se ver,
também me choca, e muito. Pior, não consigo perceber o que motiva para isso e o que daí se retira ....
Sete,
vamos lá a cerrar essas fileiras! ontem, vi a noticia de que as familias que recorrem à caritas passaram de 9 mil para 60 mil. E esta procissão, infelizmente, vai ser muito longa e ainda nem saiu do adro..