30 dezembro 2009

28 dezembro 2009

Da rebelva a cabul

Parto daqui a pouco para uns dias longe de tudo e vou a cantar uma canção de despedida absurda.


26 dezembro 2009

,,,,,,,3

Voltei de novo aquela casa.
Já não ia fazia muito, muito tempo. Talvez um, vários meses.
Não sou boa para rotinas, sempre o soube, e ainda assim tentei, mesmo sabendo a sensação de abandono que vem sempre a seguir.
Não sabia o que iria encontrar, nem sequer se te iria encontrar a ti.
Não sabia tão pouco como me iria encontrar a mim lá, eu que vivo já noutro mundo e habito já outra vida e te sonho já desde outros sítios.
Abri a porta, a chave deu....estranhamente encontrei tudo no seu lugar, nem demasiado arrumado nem demasiado caótico como imaginei. As coisas, tu, tinham um certo equilíbrio, ténue, frágil, fugaz.
Havia comida suficiente no frigorífico, bebida mais que bastasse e até papel higiénico.
Tu esperavas no sofá, não sei se por mim, mas esperavas.
Tirei a gabardine, servi dois whiskys, sentei-me ao teu lado.
Pousei a minha cabeça no teu colo e chorei, chorei como nunca me tinha permitido chorar à tua frente.
Agora já não sei se é para ir de 15 em 15 dias.
Agora já não sei se é para ir quando tu me chamas.
Agora já não sei quem precisa de ser salvo.
Se tu ou eu.

25 dezembro 2009

hoje decidi fazer a depilação!



Mas acho que me arrependi........................................

é natal

E a Sic está a dar a Mary Poppins às 02.00AM. Calhando, para uma bela tarde em familia, amanhã temos o Rambo...

24 dezembro 2009

A pedido de várias famílias, ou porque sim apenas...

Aqui vai a positivista receita do positivo bolo de iogurte que, sendo muito versátil, proporciona positivos comentários por parte dos comensais e expectativas positivas por parte do cozinheiro.

1 iogurte natural (eu uso ora açucarado ora de aromas)
3 medidas de iogurte de açucar (se for açucarado 2 medidas chegam)
4 medidas de iogurte de farinha
1 medida de iogurte de óleo
4 ovos
fermento qb (pó Royal)
raspa de laranja e de limão
Misture o iogurte com o açúcar. Adicione-lhe as gemas e reserve as claras numa tigela. Junte a farinha peneirada à qual juntou o pó Royal para que ele se espalhe bem. Quando tiver deitado a 3ª medida de farinha, pode verter a medida de óleo para que seja mais fácil bater a massa.
Bata as claras positivamente em castelo e incorpore-as na massa devagar para não as quebrar.
Unte uma forma com manteiga e farinha e deite a massa lá para dentro.
Leve a forno previamente aquecido a 150º durante cerca de 45 min.
São muitas as variantes desta receita, à qual umas vezes adiciono maçã e canela, ou só maçã, ou ananás...

Votos de um positivo (mas não positivista!) Natal.

23 dezembro 2009

Oito ou nulos!


As palavras são bonitas e só descobri isso há relativamente pouco tempo. Se pensarmos que cada palavra tem um sentido que foi convencionado para um conteúdo, se pensarmos que cada conteúdo é diferente de outro e que pode ser perceptivel apenas através de um conjunto ordenado de letras e que, não obstante, há inversões significativas de sentidos apenas por se mudar uma letra, descobrimos um jogo fascinante.

Posto isto, diz a amiga wikipedia que "Positivismo é um conceito que possui distintos significados, englobando tanto perspectivas filosóficas e científicas do século XIX quanto outras do século XX. Desde o seu início, com Augusto Comte (1798-1857) na primeira metade do século XIX, até o presente século XXI, o sentido da palavra mudou radicalmente, incorporando diferentes sentidos, muitos deles opostos ou contraditórios entre si. (...)

Para Comte, o Positivismo é uma doutrina filosófica, sociológica e política. (...) Em linhas gerais, ele propõe à existência humana valores completamente humanos, afastando radicalmente a teologia e a metafísica (embora incorporando-as em uma filosofia da história). Assim, o Positivismo associa uma interpretação das ciências e uma classificação do conhecimento a uma ética humana radical, desenvolvida na segunda fase da carreira de Comte.
(...)
A idéia-chave do Positivismo comtiano é a Lei dos Três Estados, de acordo com a qual o homem passou e passa por três estágios em suas concepções, isto é, na forma de conceber as suas idéias:
Teológico: o ser humano explica a realidade apelando para entidades supranaturais (os "deuses"), buscando responder a questões como "de onde viemos" e "para onde vamos"; além disso, busca-se o absoluto;

Metafísico: é uma espécie de meio-termo entre a teologia e a positividade. No lugar dos deuses há entidades abstratas para explicar a realidade: "o éter", "o povo" etc. Continua-se a procurar responder a questões como "de onde viemos" e "para onde vamos" e procurando o absoluto;

Positivo: etapa final e definitiva, não se busca mais o "porquê" das coisas, mas sim o "como", com as leis naturais, ou seja, relações constantes de sucessão ou de coexistência. A imaginação subordina-se à observação e busca-se apenas o relativo."


Ou seja, não se trata tanto de uma utilização livre de palavras - até porque isso geraria a anarquia na comunicação humana, a própria Torre de Babel  - mas de sabermos se a nossa amiga é positiva ou positivista.

Por mim, acho-a positiva (aqui, fugindo também ao significado estrito do dicionário, como alegria e a procurar sempre o lado bom de tudo) mas também um pouco positivista (buscando as relações constantes de sucessão ou de coexistência sem, no entanto, prescindir da imaginação).

Ela não cabe inteira numa só palavra. E é por isso que é nossa! Nem oito, nem nulos: quatro para cima!

22 dezembro 2009

sem maneiras nenhumas.....MESMO

QUE SE FODA!!!

viva a utilização livre das palavras.


Da mesma que postou " o positivismo elevado à potencia máxima".

(e em relação à matemática não têm nada a dizer?)

Votos de natal



Que pudessemos dizer, em todas as línguas, que a guerra acabou, que todas as guerras acabaram...

A chegada oficial

O Inverno

Velho, velho, velho
Chegou o Inverno.
Vem de sobretudo,
Vem de cachecol,
O chão onde passa
parece um lençol.
Esqueceu as luvas
perto do fogão,
quando as procurou
roubara-as um cão.
Com medo do frio
encosta-se a nós
Dai-lhe café quente
Senão perde a voz.
Velho, velho, velho
Chegou o Inverno.

Eugénio de Andrade

20 dezembro 2009

O positivismo elevado à potencia máxima

Portadora de uma gargalhada única esta múltipla é o positivismo elevado à potencia máxima nem com um jogo de tarot completamente destruidor ela esmorece. Em todas as situações vê o lado positivo (como é que ela consegue? É uma freak...!. é uma das frase mais ditas em relação a ela).
Amiga sempre presente nem a condição de emigra nos faz senti-la longe.
Tem sempre uma ideia ou um negócio novo para explorar anda sempre de uma lado para o outro, nem que seja dentro da sua cabeça.
Adora dançar, rir, cantar, conversar, estar com os amigos, ir a festas, e comer é um ser social por natureza.
A sua filha fá-la constantemente engolir sapos com o seu “princesismo”, unhas pintadas, cinturones de barbisss, e vestidos cor-de-rosa, ela que é supostamente uma teórica das questões de género.
Já mencionei que é uma bissexual em teoria? Acho também que é uma experimentalista.....hihihihi
Portanto nunca nos aborrecemos com ela......

19 dezembro 2009

Venham eles




Quarenta.E venham mais uns quantos, só não é preciso que venham a correr.

Um grande ano para ti, multiplx queridx.

FELIZ NATAL



e cada ser humano possa encontrar-se com uma criança jesus e brincar com ela.

18 dezembro 2009


vai com atraso mas aqui vai, um grande beijo de parabéns para a nossa querida múltipla, que este seja um ano com muito, muito amor no coração.

17 dezembro 2009

desafio para desafio para sol incerto

Apreciadas pessoas que aqui vêm de vez em quando ver se já alguma coisa se mexeu por aqui, 


Maternidades belas, cansadas, alegres, inseguras e possiveis, casas para cuidar, roupa para lavar, refeiçoes compradas, cozinhadas e lavadas, trabalho do outro que nos dá dinheiro, encontros com amizades e connosco mesmxs, encontros possiveis com familias e pessoas de quem queremos cuidar, encontros com pessoas que nos cuidam, encontros com a morte e com o sofrimento, reencontros com amores, novos amores e paixoes, separaçoes, crises de amor e relaçoes onde medimos o que gostamos e o que nao gostamos nelas e como as vivemos e nao sabemos o que fazer com que nos indica a balança, viagens, dificultades com o acesso à internet, a falta de paciencia para escrever e ou a falta de tema, a página em branco que nem chega a ser aberta, sao alguns dos possiveis motivos que fazem que, como podem observar, nao se mexa grande coisa.



Assim, pede-se às apreciadas pessoas que por aqui passam, que se tèm alguma tema ou desafio que queiram propor às oito e coisa nove e tal, façam favor de dizer na caixa de comentários mais próxima de si. Em funçao da afluencia fisica e animica tantos dxs leitorxs como das múltiplas logo se vê o que sairá.



Se alguém vencer o concurso adquere o direito a pedir uma música e a gente posta-a (se a conseguir subir, claro está), direito esse que perderá logo a seguir à publicaçao da mesma.


Aguardamos com expectativa, ausencia, entusiamo ou indiferença o que lhes apetecer dizer.

14 dezembro 2009

Fantasias de Natal!

Numa manhã bonita fria e ensolarada, como a de hoje, Martinha viajava na parte de trás do carro dos seus pais. Iriam fazer a primeira incursão às prendas de Natal no Colombo e em seguida ao Freeport, porque nesta época ninguém se importa se aquela merda está legal ou não.
Tudo corria bem até que subitamente o papá de Martinha teve de fazer uma travagem brusca!!!!!!!!!!!! Hiiiiiiiiiiiiiiiiii!! À frente do carro atravessara a correr um rinoceronte com plumas cor de rosa que mais tarde se soube que tinha fugido do circo.
O pai de Martinha grita - Fodasse! Caralho! que o MDMA de sábado ainda me está a bater!
Imediatamente atrás do rinoceronte afoito vinham três porcas pretas anãs a persegui-lo (que derivado  à tatuagem que tinham na coxa esquerda suspeitava-se que tinham tido formação em contra espionagem na ex URSS) mais um caniche perneta que era Chef e mestre em Foie Gras. As porcas, ao contrário do que se possa pensar, eram muito asseadinhas pois o caniche perneta oferecia-lhes constantemente sabonetes para depois dos minetes, sim que o caniche era mestre nisso também pois era fruto de um cruzamento estranho entre um cão de lingua azul e um gibão, o que o fez ter uma lingua azulinha bastante proeminente.
Uma das porcas que usava muitas vezes o sabonete era casada com o anão contorcionista mas estava apaixonada pelo rinoceronte que por sua vez era gay e gostava do urso.
O urso era faquir e bazou para o Cazaquistão à procura de um rotweiller mestre em bdsm.
Esta malta foi toda atrás do rinoceronte porque ele é que tinha a chave da roullote das farturas. Na roullote das farturas dormia o dono do circo com uma bruta ressaca de um licor azedo que o urso lhe enviara. Sem dono não havia bilheteira...e depois como é que o coelhinho ia com o estupido do palhaço e o cabrão do pai natal no 28 ao circo??

Dia de cão

É segunda-feira e vou passar o dia a fazer compras de natal. Se virem alguém com a língua de fora e a abanar a cauda no colombo, ofereçam-me um café.

10 dezembro 2009

A brincar, porque sim

E agora eu era um homem grande e pesado e forte e abandonava este corpo onde os músculos desaparecem na redondez de um corpo de mulher. Agora eu era um homem de voz grossa e barba dura que avança pelos dias sem hesitações nem medos, um homem que distribui murros em mesas e certezas em monossílabos angulosos. E agora eu era um homem e entrava em ti para descobrir os cantos escondidos do teu corpo, até desaprenderes todas as palavras e não restasse mais do que o meu nome feito ladaínha no teu sangue.

Bom, já que estamos nessa...

Numa paragem de autocarro estão duas pessoas. Um é Músico e o outro também não tem dinheiro.

piadas estupidas

Divisão
Professor: - O que devo fazer para repartir 11 batatas por 7 pessoas?
Aluno: - Puré de batata, professor!

Verbos
Professor: - Se és tu a cantar, dizes: 'eu canto'.
- Se for o teu irmão que canta, como é que dizes?
Aluno: - Cala a boca, Alberto.

Castigos
Aluno: - Professora, alguém pode ser castigado por uma coisa que não fez?
Professora: - Não.
Aluno: - É que eu não fiz os trabalhos de casa.

Conjugação Verbal
Professor: - Joaquim, diga o presente do indicativo do verbo caminhar.
Aluno: - Eu caminho... Ah... ...tu caminhas. Ah...ele caminha...
Professor: - Mais depressa!
Aluno: - Nós corremos, vós correis, eles correm!

Tempo Verbal
Professor: - Chovia que tempo é?
Aluno: - É tempo muito mau, senhor professor.

Ciências
Professor: - Quantos corações nós temos?
Aluno: - Dois, senhor professor.
Professor: - Dois!?
Aluno: - Sim, o meu e o seu!

Dois alunos chegam tarde à escola e justificam-se:
1º Aluno: - Acordei tarde, senhor professor! Sonhei que fui à Polinésia e demorou muito a viagem.
Professor: - Então, e tu!
2º Aluno: - E eu fui esperá-lo no aeroporto!

A base da alimentação
Professor: - Pode dizer-me o nome de cinco coisas que contenham leite?
Aluno: - Sim, senhor professor: Um queijo e quatro vacas.

Um aluno de Direito a fazer um exame oral
Professor: - O que é uma fraude?
Aluno: - É o que o Sr. Professor está a fazer.
Professor: - (O professor muito indignado) Ora essa, Explique-se...
Aluno: - Segundo o Código Penal comete fraude todo aquele que se aproveita da ignorância do outro para o prejudicar!!!

07 dezembro 2009

chapéus há muitos!

Os bonitos











Os com piada













Os horrendos












05 dezembro 2009

Sobre a gata

Só tenho a dizer que não é minha. Mas que gosto dela como se fosse. E isso pode ser um problema. Meus amigos, vem aí um novo caso Esmeralda.

04 dezembro 2009

Primeiro ano da nova vida



Há uns tempos começou um novo tempo. E hoje é o dia de lhe cantarmos os parabéns, na esperança de que passe por aqui a visitar-nos nos intervalos da vida.

03 dezembro 2009

Excelência,

Nunca nos encontramos. Nunca antes lhe pedi nada. Mas a verdade é que não posso mais aturar isto!! Desculpe confessar-me assim, a seco, mas é verdadeiramente insuportável!! Intolerável!...

É que elas deixam-me fora de mim, com aquele olhinho quase, quase em alvo mas que nunca chega lá - ou habilidosamente entre pestanas - e aquela vozinha, sempre doce e melodiosa!! É repelente!

E, claro, nunca, mas nunca, têm uma intenção velada e fazem sempre tudo, mas mesmo tudo, sempre, pelo melhor. E têm sempre uma desculpa, independentemente do que façam, as queridas! “Oh, mas é tão querida… oh, foi tão querida.... oh, é mesmo querida...”

Só tenho um pedido:  leve essas falsas frágeis todas consigo e deixe-as lá para sempre!! Não, já sei, deixe-as cair na fossa oceânica da Sanduíche do Sul!! Até o chamo de Pai Natal, se o tratamento por pai facilitar as coisas…é só uma volta mais apertadinha com o trenó e… ups…!! Prometo, juro, que para o ano me porto melhor e não bato nos outros meninos aqui na repartição e só digo mal da Tilinha quando ela fizer alguma coisa, seja o que for, o que será nunca!! Por favor….

Confiante na sua acção, apenas posso dizer Shenoraavor Nor Dari yev Pari gaghand, ou Dedo Mraz.

Sua,
Oito

PS: Isso ou juro que esfrangalho a Tilinha logo depois do Natal e, na volta, amando logo com a outra santinha abaixo do altar! E logo ela, que é tão querida…!

30 novembro 2009

eu quero tanto.........

Quero viver um grande amor.
Daqueles que nos fazem sentir cheios por dentro e com energia para jogar à bola com o mundo.
Quero viver uma paixão que me arrebate, que me transforme e sobretudo que me liberte.
Quero um amor livre e independente, sem jogos, sem esperas, sem mal entendidos.
Quero fazer faísca com alguém, quero que alguém me aceite e me ame em todas as personagens que sou, em todos os eus que me habitam.
Quero um amor sincero, cru, directo.
Quero um amor com magia, carinho e com coisas românticas e pirosas.
Quero acordar muitas vezes ao lado dessa pessoa.
Quero rir-me com ela. Quero chorar com ela e quero poder chorar nos braços dela.
Quero uma casa e quero viajar. Quero ir e voltar tantas vezes quantas eu quiser. E quero que ele vá e volte as vezes que quiser também.
Quero gostar do cheiro da sua pele e do seu cabelo.
Quero gostar do seu toque e dos seus beijos.
Quero me apaixonar sem ter medo.
Quero que me amem sem ter medo também.
Ou se o medo existe que seja uma coisa falada a dois.
Quero comunicar de todas as formas que sei.
Quero que me procure e me surpreenda.
Eu queria, eu quero, tanto mas tanto tanto um amor assim......

Uma história exemplar

29 novembro 2009

para a múltipla do post abaixo


Estou apaixonada

e não sei como chama nem onde vive. Mas adormeço e acordo com a cabeça e o coração nessa pessoa.
O amor tem mais formas do que a imaginação pode inventar.

27 novembro 2009

vou-vos contar o momento mais estúpido do meu dia

Perguntaram-me o que precisava para trabalhar.

Respondi: canetas, marcadores e lápis.

Acabei de assinar um papel em como, quase por minha honra, declarei ter recebido:

- 1 caneta azul;
- 1 caneta preta;
- 1 marcador azul e
- 1 lápis.

com indicação da referência de cada qual....

Se perder 1 caneta azul da 1 caneta azul que tenho, será que me vão tirar do ordenado?

Nos rascunhos

estão uns textos tão jeitozinhos, benza-os deus, que me dá umas ganas de os pendurar por esta parede fora. As meninas importavam-se muito?

já disse

Que esta imagem é uma delicia?

26 novembro 2009

"Act the way you like to be and soon you'll be the way you act"


Bob Dylan

Quero ter gripe

A última vez que tive uma foi em 1997. Tenho saudades de uma gripe movida a chás e aspirinas.

25 novembro 2009

Abstinência

Primeiro forams os namorados e os amores. Abstinência, disse ela. Os dias encheram-se de minutos só seus, minutos e horas em que não precisava de negociar e saber e decidir como quando e porquê haveria de estar com a outra pessoa. Deitou-se ao comprido nesses minutos e horas e dias, esticou braços e pernas para sentir todas as migalhas do novo tempo, por baixo do pé esquerdo as manhãs de sábado enrolada na cama sozinha, o polegar direito encostado na noite de domingo à beira de uma semana  por estrear, o mindinho esquerdo por cima de um pedaço cheio de horas sem telefonemas nem relatórios do dia. Gostou tanto da abstinência que decidiu deixar de beber café. Passadas as dores de cabeça iniciais, mergulhou numa alienação encortiçada, separada do mundo por uma gaze fina que coava sons palavras e cheiros. Esta forma gasosa de viver tornou-se o seu vício. Talvez a seguir decida deixar de respirar.

É pro menino e prá menina

A segunda vida é um sítio estranho. Bonecas e bonecos passeiam-se por sítios incríveis ou comuns  - praias, réplicas de bocados do mundo, planetas distantes e tudo o mais que se queira imaginar. Bonecas e bonecos conversam, interagem, tornam-se amigos, viajam juntos, riem-se, zangam-se, fazem sexo, apaixonam-se, casam-se, têm filhos. No meio disto tudo está o sexo, não aquele que se faz mas o que temos entre as pernas e nos torna homens ou mulheres do outro lado do ecrã. Nem sempre o sexo que temos sentados ao computador é igual ao que o nosso avatar tem na segunda vida. Com o tempo, aprendi que esse sexo importa pouco, muito menos do que poderia imaginar. Na segunda vida, não há rótulos que sirvam quando tudo pode ser mentira e verdade ao mesmo tempo. Ali, homens e mulheres são apenas desenhos que se cruzam comigo, desenhos com pessoas dentro agarradas à liberdade de ali serem o que lhes der na gana.

24 novembro 2009

Eu postava aqui um vídeo

se soubesse ir buscá-lo ao YouTube. Em não sendo possível, fica o link daquela que é uma das minhas preferidas dos Beatles:

http://www.youtube.com/watch?v=96YQdiMV-Jc


A bem da verdade, gosto de tudo o que os rapazes fizeram.

Há amores que duram para sempre

O meu pelos Beatles, por exemplo.

22 novembro 2009

Quantas horas tem um mês?

O meu coração dispara!
De repente sinto-me empurrada de encontra a parede e penso, Onde é que andas?
Onde raio é que tu andas, que não te vejo há tantas, tantas, tantas horas.
Tantas horas que faz quase um mês.
Quantas horas tem um mês?
24x trinta e.... não interessa, não me interessa para nada.
Sinto uma espinha dura enorme cravada na garganta, e começo a procurar-te por todo o lado, pelas ruas, pelos bares, nos eléctricos, pelas pontes e debaixo delas, à beira do rio, em cima das árvores onde os corvos gritam aos meus ouvidos e percorro todas as caras uma a uma na esperança de ver a tua cara na cara de alguém.
Por momentos penso: se alguém repara no desespero que levo entre os braços como se fosse uma criança, o que vão pensar? mas lembro-me que aqui ninguém repara, aqui ninguém repara nessas coisas, aqui não nos olham nos olhos, aqui está-se abandonado, aqui definha-se devagar como uma árvore seca numa tarde de inverno, o que faz aumentar ainda mais a minha angústia, o que me faz ser ainda mais forte na minha solidão.

Não penso em nada, não penso se estás morto, se estás com outra pessoa, se não pagaste a conta da luz ou do telefone, se não tens moedas no bolso ou se simplesmente desapareceste.
Procuro-te.
Simplesmente procuro-te nos sítios mais improváveis, como o bar em que nos vimos pela primeira vez já depois de nos conhecermos, ou no manto de folhas secas que cobrem a pequena ilha de onde te escrevo...

Terapia Domingueira. Melhor filme e serie por categorias.

Querem fazer-me companhia, múltiplas?(Ok, é tremendamente difícil. Pronto, dois por categoria.... Pronto, tá bem, também podem acrescentar mais categorias.)

Drama: Once upon a time in America, Transamerica
Acção: The 13th warrior, Heat
Guerra: Looking for private Ryan, Schindler's list
Biografia: Bird, Ed Wood
História de amor: The bridges od Madison County, Cinema Paradiso
Thriller: The hitcher, Memento
Terror: The others, Signs
Comédia: Manhattan murder mystery, Snatch, Pulp fiction (ooops)
Ficção científica: Star Wars (todos), Aliens I,II,III e IV
Filme independente: Bagdad caf'é, Coffe and cigarettes

Série de televisão comédia: Seinfeld, That 70's show
Série de televisão policial: Damages, Monk
Série de televisão drama: Band of brothers, Mad men
Série de televisão acção: Lost, Prison Break

Ripley, "Aliens"

"You've been in my life for so long, I can't remember anything else.".

Dez

Décimo dia sem fumar. Às vezes tenho saudades de que era com um cigarro na mao.

O que me vale

O que me vale aos fins de semana
é o teu amor provinciano e bom
para ele compro bonbons
para ele compro bananas
para o teu amor teu amon
tu tankamon meu amor
para o teu amor tu te flamas
tu te frutti tu te inflamas
oh o teu amor nao tem com
plicaçoes viva aragon
morram as repartiçoes

Manuel António Pina

20 novembro 2009

Ouro

Apetecia-me pintar as paredes cor de ouro. Como não posso, penduro aqui estes dourados artistas.

19 novembro 2009

Juan Carlos Murrilo - O messias dos animais

Ao ver os telejornais, no meio das tragédias naturais, como os furacões, os tsunamis ou os terramotos e no meio das tragédias fabricadas por esta raça estúpida que é a humana, como a guerra por exemplo, sempre me perguntei, se haveria alguém destacado para se preocupar e tentar salvar os animais que ficavam para trás e hoje, ao folhear a revista "Sábado" descobri Juan Carlos Murrilo. Com o curso de veterinária e a trabalhar com a WSPA desde 1999, Juan Carlos percorre o mundo com o único intuito de salvar animais perdidos nas tragédias ou de resgatá-los da maldade dos homens.
Entre outras aventuras, já conseguiu resgatar dois golfinhos duma piscina imunda na Guatemala, depois de os tratadores os terem abandonado à sua sorte para morrerem, depois de ter sido ameaçado de morte pela polícia, com uma pistola na boca, para largar os golfinhos com base nos milhares de euros a que o preço dos golfinhos pode chegar no mercado negro. Já salvou camelos e cavalos, vítimas das minas e balas perdidas, durante a guerra no Afeganistão, salvou cães, gatos, crocodilos, elefantes e toda a espécie de animais, praticamente em todo o mundo.
Apesar de ser um nome nunca falado nas notícias, bem como o dos seus colegas, estas pessoas existem, destacadas para estas missões. Talvez seja a maldita susceptibilidade humana que os impeça de serem falados.
Uma vez, estava eu a dar comida a um grupo de gatos de rua, completamente esfomeados, passa uma senhora que resolve dizer, alto e bom som: "Com tantas crianças a morrerem de fome e a desperdiçar comida com estes bichos".
A mesma atitude e ignorância besta se repete constantemente noutras situações do dia a dia, onde o objectivo é sempre destacar a nossa raça como superior e a mais digna e prioritária em todos os momentos.
Talvez seja esta maldita susceptibilidade, esta arrogância suja.

17 novembro 2009

..

Numa manhã fria de Inverno um corpo, como se fosse um bibelot de cristal, caiu do cimo de um prédio de cinco andares.
A queda foi de uma doçura agonizante com se fosse uma pena que caía em câmara lenta a ondular, a rasgar devagarinho o ar gélido daquela manhã.
À medida que o corpo descia ia-se tornando mais transparente, mais rígido, mais imóvel.
Quando tocou o chão era já uma camada muito fina de vidro, delicado como um cristal da bohemia.
O contacto com o chão fê-lo partir-se em mil pedacinhos, tão pequenos que só se notavam porque derretiam o gelo que tocavam.
Do cimo do telhado ela olhava para o espectáculo por si provocado.
Como fora capaz? Outra vez? Mais uma vez? Porquê?

O ar contraiu-se e um bando de corvos rasgou o céu na sua direcção com grasnares quase humanos.
Correu, correu pelo prédio abaixo com desespero, tropeçou num tapete, bateu com força no varão das escadas com a sua coxa direita, e foi à procura de si no meio da neve que se ia acumulando no passeio.
De joelhos tentou recuperar todos os pedaços que encontrava, muitos ao toque cortavam-lhe os dedos deixando pequenas manchas vermelhas na neve branca.
Os corvos juntaram-se e cada um por si bicava os bocadinhos de vidro que ia encontrando.

Do cimo do telhado olhava para si com uma impavidez impenetrável, estática, fria.
Uma lágrima caiu na sua bochecha.
Olhou para o céu e reparou que estava limpo, sem nuvens, azul, luminoso.
E estava lá, a olhar para si cá em baixo no cimo do telhado.

Essa sim, chorava ..

Confissão

Mais de um ano passou desde que aterrei na segunda vida. Houve alturas em que me aborreci e desapareci do mapa durante semanas e semanas, houve momentos em que lá vivi horas de seguida. Fui quase sempre uma sem-abrigo, deixava a minha boneca a dormir não importava onde. Fui quase sempre uma pelintra, a viver de tudo o que era grátis. Mas houve uma altura em que isso mudou. Por muito incompreensível que seja  para quem se fica pela primeira vida - e foi incompreensível para mim durante muito tempo - um dia comprei lindens, o dinheiro desta outra vida. E, pela primeira vez, pude fazer todas as extravagâncias que antes apenas podia imaginar. Por oito euros, a minha boneca ficou rica e o inventário dela agigantou-se. Roupas, sapatos, peles, olhos, pestanas, magníficas e supérfluas inutilidades que me levaram a brincar outra vez às barbies. E atrás dessa enorme mudança (como fui capaz de pôr oito dólares num mundo que só existe a brincar?) vieram outras pequenas mudanças. Por muito que quisesse fazer do meu avatar uma pessoa inventada, descobri que ele voltava uma e outra vez a mim. Aquela boneca não é afinal uma boneca. É um desenho animado de mim, num jogo que não é um jogo, mas sim uma sala de espelhos onde nada se esconde e tudo se reflecte.

Rebaldaria

Gosto de chegar aqui e encontrar sempre cores e imagens diferentes, nunca saber ao certo ao que venho e aterrar surpreendida no que encontro. Mas de repente está tudo marado, a rebaldaria instalou-se. Bitaites nos comentários? Tentei uma tentei duas tentei três vezes e não consigo tirar aquela palavrinha irritante dali. Vou ali buscar o martelo pneumático e já conversamos.

Para que conste

16 novembro 2009

socorro

distraí-me e agora não consigo ver o template antigo...

Pela vossa saúde mantenham a distância

Quarto dia sem fumar. Hoje mordo.

14 novembro 2009

era um porto...


Recentemente resolvi comprar os dvds do marco para mostrar à minha filha e recordar a série que me tinha presa à televisão sofrendo pelo miúdo que não encontrava nunca a mãe. Não tinham passados 10 minutos do primeiro episódio e já estava eu a correr para a casa de banho, a chorar convulsivamente, carpindo memórias que pensava esquecidas , perante o olhar espantado da minha filha. Ao terceiro episódio lá recuperei e comecei a seguir a história. É curioso, quando era miúda não tinha reparado que o Marco tinha de trabalhar para sobreviver, de que bebia vinho, de que era um miúdo que além de ir à escola tinha de trabalhar em casa para poder ajudar a sua família e que tal como muitos outros, estava separado da sua mãe porque esta teve de imigrar para poder ganhar dinheiro para a família. Nem que queria ser médico quando fosse grande nem que às vezes parecia um homem pequenino e não um menino se não fosse pelo seu macaquinho, que era quem dava à sua vida as travessuras e as macacadas próprias das crianças.

Não será talvez para 2015, mas oxalá que um dia, quando daqui a uns anos a minha filha mostrar o dvd do marco aos seus filhos, lhes possa contar sem desmentir as estatísticas: ainda bem que agora as coisa já não são como no tempo da avó e dos bisavós e dos trisavós. Agora, são quase nenhumas as crianças no mundo que passam fome, frio, vão à guerra, são separadas dos seus pais, que têm de trabalhar. Agora, as crianças dedicam-se a aprender as suas coisas da escola, dedicam muito tempo à pintura, às artes e ao desporto e ajudam as pessoas adultas e as mais velhas a não se esquecerem como é bom ser feliz com coisas simples.

13 novembro 2009

Finalmente,

A Candy, Candy!
Depois de dúvidas sobre o enredo apaixonante do romance (qualquer coisa como "estava apaixonada por um belo rapaz loiro, de seu nome francisco, acho, que caiu de um cavalo e ou morreu ou ficou paralítico! Depois havia um morenaço que era mau, mas que depois era bom e por quem ela descobriu o verdadeiro amor. Ou era ao contrário, já não sei. Ela acabou outra vez no orfanato - acho que como directora - e ganhou a corrida de subir à árvore especial! Fim"), a nossa D. Ester informou-nos de que o seu apaixonado afinal era "o António suas incultas. A candy candy estava apaixonada pelo António. Havia uma cena pungente no meio de uma tempestade ou intempérie ou qq coisa, com ela a gritar "Antóooooooonio" e ele "Candyyyyyyyyyyyyyyyy"".
Era tão bom que parece que andou tudo à bulha por causa dos copyright.
Pedimos à nossa múltipla versada em caracteres a gentileza de encontrar no único site oficial - http://lakewood.srv7.biz/ - a caixinha onde se possa rever pelo menos o genérico...

11 novembro 2009

Semântica

Hoje aprendi que não nos devemos pronunciar negativamente. Sugerem-me que se não gostar de uma pessoa, de um restaurante, de uma peça de roupa, de uma proposta comercial ou mesmo de um espectáculo que não o/a devo denegrir, mas ao invés abster-me de o comentar.
Se algo for mesmo bom, devo tecer-lhe elogios, baseados em factos objectivos.
Mais, se algo for ou estiver bonzinho', apenas devo comentar que 'tem potencial'.
E um frasquinho de vaselina, vai?

Isto não é um cachimbo

10 novembro 2009

Isto não é uma crise existencial


A facção católica deste blog declara que, a partir de agora, o Antigo Testamento é que reina. Olho por olho, dente por dente. Acabou a Caridade, o Amor ao próximo, o “Senhor, perdoai-Lhes pois não sabem o que fazem” e o dar a outra cara. Agora, é tudo à biqueirada!
Ah e tal, o confessionário é uma forma de castração. Porreiro, vai ter com os outros que matam à pedrada adúlteros e homossexuais e que até são muito engraçados e muito culturalmente diferentes e reza a Deus para que nunca caias em tentação. Ah e tal, tenho a certeza que JC teve filhos com Maria Madalena. Pois, e então porque é que não deixas de fazer uma escapadela de 3 dias na Páscoa e, tal como Buda, fosses ***** ***** debaixo da figueira - sim, porque EU tenho a certeza que ele fez isso - hum?? Ah e tal, a Inquisição foi um horror. Pois foi, mas já te ouvi negar o Holocausto que foi bem pior. Ah e tal, os Santos eram todos uns hipócritas. Então, deixa de ir festejar os Santos, também não te percebo! Ah e tal família é como o Natal, é como e quando o Homem quiser. Ai é? Então vai lá trabalhar no dia 24 e 25 de Dezembro em vez de arrotares dentro da soquete nova que recebeste de presente e deixa-me festejar a Família que tem mãe, pai e filhos. Ah, és católica?!... Que engraçado... Pois é engraçado é, tenho a Alegria de saber que Ele me ama incondicionalmente (o que é lixado é que talvez te ame a ti também, apesar de seres um vermezinho absolutamente patético de tão perdido na sua pseudo plenitude-individual e incapacidade de ouvir, perceber ou respeitar - embora fiques com a boca seca de tanto pregar isso ao vento - e sem nenhum outro destino maior que umas larvazinhas nojentas no meio da terra). Ah e tal, mas preservativo no nariz do Papa é só a liberdade de expressão de uma sociedade multicultural e civilizada que deve ser mantida a todo o custo!! Pois é, e esta singela bomba que te deixo é só uma modesta expressão do meu apreço pelo teu respeito.

mudança a bombordo

enquanto pirata pirateia pirata, folgam as costas.

Ver aqui um curto documental sobre a pirataria no Quénia:

http://www.diagonalperiodico.net/Una-vision-distinta-de-los-piratas.html

Perfumes



Morreu aos dezassete anos e desde então dizem que se podem sentir os perfumes da Sãozinha, manifestação da sua presença e das graças que trata de obter para os que a invocam.

desejo

Há 20 anos caiu o muro de berlim. Há pouco mais de 20 anos (cof cof) nasceu quem perante o riso geral utiliza as palavras para ajudar a derrubar pedras de muros que teimam em resistir-se e com elas construir redes prazenteiras. Que te divirta cada pedra que transformes.

09 novembro 2009

Havia ela e havia ele.

Havia ela e havia ele.
Os caminhos eram os mesmos, mas com o “delay” do desencontro que só acontece porque o encontro quase se deu.
Ele esteve lá, ela esteve lá passados 5 meses.
Ela esteve noutro sítio e ele no dia seguir.
Ele conheceu alguém que ela conhecera na semana anterior.
Ele chamou-a e ela só o ouviu meia hora depois.
Ela chamou-o mas ele só a ouviu no dia seguinte.
Eles foram ao mesmo concerto mas um estava à frente e o outro mais atrás.
No supermercado escolheram o pão da mesma fornada e tiraram maçãs da mesma caixa mas não se viram.
Eles dançam a dança dos desafinados que só se afinam quando por milésimos de segundo se raspam de olhar, se dão um encontrão e seguem, com o olhar vazio de quem procura e sabe o que é mas não vê.
Ele e ela estão juntos e seguem separados.
E estão separados mas seguem juntos.
Às vezes ele é ela e às vezes ela quase que é ele.

an image a day

takes the doctor away...

ver mais aqui

fim do dia

imagem retirada deste post

Por falar em astros, mágicos, bruxos e prestidigitadores

08 novembro 2009

Ter um cão



Para a sem-se-ver que, a propósito disto, disse que 'a ter, só um cão'.

Concentrar


Já entrei em estágio. Amanhã é que é.

07 novembro 2009

Crónicas do mundo virtual





(todos os nomes foram alterados para preservar a identidade dos avatares, menos o meu que me atiro assim para a frente, sem pejo nem pudor, à leoa)

E o meu nome é Zepp Writer. Decidi que, durante uns tempos vou ser uma private investigator à paisana, com o único objectivo de vos trazer pequenas mas sempre belas crónicas passadas neste mundo, aqui no Second Life, onde se joga um jogo que é tudo menos um jogo.

E hoje, não menos que um directo da região de Lisboa Portugal, praça do comércio, onde acontece esta festa maravilhosa, neste momento exacto, ao som do Creep dos Radiohead. E agora, vocês podiam pensar, ena! Os gajos fazem festas e tudo ali. Pois é, aqui em Lisboa há sempre festa todos os dias, na falta de brainstormings que produzam ideias melhores.

Para vocês saberem, aqui no sl existe um chat público escrito, um chat privado, para quem assim deseje e precise, também escrito, e ainda a possibilidade de falar no voice chat, com microfone, publicamente para todos ouvirem.

Neste momento, alguém grita no chat público: "Apaguem o fogo do chapéu da Zepp!"
"Grande som!", grita outro, que adora Radiohead, nem sei bem porquê, que a mim, para além do Creep, me dão sempre vontade de querer atirar um boião de gasolina para cima e acender um fósforo.

As pessoas cumprimentam-se entusiasticamente umas às outras, excepto o Gamba Aleatória que todos sabem, nunca fala com ninguém nem abre a boca a não ser para falar em privado, onde exige sempre comprovativo de género ao avatar do interlocutor, através de foto ou câmara, com medo de estar a falar com um avatar masculino mascarado de fêmea, o que a bem dizer, por aqui há muito, verdade seja dita, e vice-versa também, claro. Mas o Gamba Aleatória, que é muito homem, não vai cá nessas brincadeiras e põe-se sempre a pau.

Mas os meus olhos fogem na direcção dum avatar magnífico ali ao canto a falar com a ruivaça. É uma pena que aqui, nesta região, na generalidade das vezes, os avatares magníficos não possam abrir a boca sem sair asneira.

No outro dia, apanhei um, também magnífico, e curto diálogo entre dois avatares. Ele, mostrava-se fascinado com a avatar feminina que o olhava dengosamente, a piscar uns belos olhos azuis neon. Falavam no voice, em vez de escreverem o que é sempre mais divertido porque se tem acesso á entoação.
E dizia ele: Mas tu és uma gata! Eu adoro gatos!
E remata ela, prontamente: Miaaauuu....

Apanho assim de raspão, outra conversa no chat público. "Não posso divorciar-me logo!" diz o Pepperoni Fantastic. "Tem de ser com calma"

E pronto, meus amigos e amigas (agora ficava aqui bem a voz do Júlio Isidro), foi a crónica possível aqui neste mundo longínquo, onde a festa ainda tá para durar, neste momento com "The power of love" do Hewie Louie and the news, mas por mim, estou farta desta festa.

Sigo agora para um bar numa região americana, chamado Toby's juke joint blues club, onde a música é do melhor para quem gosta do género como eu. Está cheio de gente a dançar, alguns sentados no bar. Está a passar Muddy Waters neste momento. Acabei de passar uma cópia do meu chapéu ao Georgie Gabardini que meteu logo conversa comigo, encantado: " hi - nice fire - any chance i can get a copy of the script?"
(Decidi que aqui, nesta região,não vou alterar os nomes aos avatares. Se me sai algum que saiba ler português e adore o oito, estou tramada, mas esta é a vida dum private investigator à paisana, sempre no risco!)

Aqui me fico, por hoje, que isto já vai longo. Mais crónicas se seguirão nos próximos dias. Fiquem bem.

06 novembro 2009

Ter um gato


Uma história do Simon's cat, de Simon Tofield.

Forever, never

À pergunta "Não terá sido o presidente a despedir Paulo Bento?", Bettencourt respondeu:

"Eu? Nunca! Never!"

Finalmente o Sporting tem um presidente que pode ombrear com Luís Filipe Vieira. Mais bem vestido, mas do mesmo nível.

Só nos livros

Quando lia as histórias do Mandrake dava por mim a invejar a sorte da Narda. Nunca encontrei um homem que me fizesse levitar.

com tranquilidade

a minha alma está de luto hoje.
adeus mister.

05 novembro 2009

ouvir-te

Ouvir-te triste faz o meu coração ficar mais pequenino.
Ouvir-te triste e não te poder tocar faz-me sentir atada pelas mãos, pelos pés e pelos braços.
Ouvir-te dizer que te faço falta e não te poder cobrir de beijos faz-me inútil.
Ouvir-te dizer que te faço uma pessoa melhor faz-me suspirar por aquilo que somos juntos.
Queria estar aí contigo.
Quero estar aqui.
A distância é um abismo que se tenta preencher com palavras, com sons, com imagens, com mensagens, com amor.
A distância é um buraco negro que, como se fosse uma colagem, devagarinho se preenche com o passado, com o que cada um é longe do outro e da relação que existe nisso.
A distância é dura.
É vazia, e enche-se tão rapidamente como se esvai.
A distância já me fez mais medo do que hoje.

Sinto a tua falta
Sei que sentes a minha falta também.
Quero-te...

04 novembro 2009

Paladar

Gosto de ti.
Mas conheci uma pessoa que diz que gosta de mim.
Que me pisca o olho, que diz que sou bonita e inteligente, que me escreve com saudades, que sente falta da minha alegria, assim, simplesmente, como tu fazias há muito tempo atrás.
Que me fala da vida dele, dos seus receios e vitórias, do seu presente e passado. Que me conta os livros que leu e os autores que aprecia e odeia, os concertos ou espectáculos a que foi ou pensa ir, os eventos em que esteve presente e as exposições que visitou. Eu sorrio e aceno com a cabeça, consciente que já não sei falar de coisas que deixei para trás há muito tempo.
Que me diz que basta eu dar o sinal.
Quero ficar contigo, mas hoje vou prová-lo e ver a que é que ele sabe.

03 novembro 2009

um dia normal em código

- 1 PIN para o telemóvel pessoal;
- 1 PIN para o telemóvel do trabalho;
- 1 password para acesso ao computador pessoal;
- 1 PIN para acesso à net;
- 1 password para acesso ao computador do trabalho;
- 1 password para a primeira pasta do outlook do trabalho;
- 1 password para a segunda pasta do outlook do trabalho;
- 1 nome de utilizador para um mail pessoal;
- 1 password para esse mail pessoal;
- 1 nome de utilizador para outro mail pessoal;
- 1 password para esse outro mail pessoal;
- 1 password para o facebook;
- 1 password para o banco online;
- 1 código de segurança para o banco on line;
- 1 PIN para o multibanco;
- 1 PIN para o cartão de crédito;
- 1 nome de utilizador para o continente on line;
- 1 password para o continente on line;
- 1 nome de utilizador para uma ferramenta de trabalho;
- 1 código para essa ferramenta de trabalho;
- 1 nome de utilizador para outra ferramenta de trabalho;
- 1 código para essa outra ferramenta de trabalho;
- 1 nome de utilizador do oito e coisa;
- 1 password do oito e coisa;
- 1 nome de personalidade múltipla;
- 1 password de personalidade múltipla;
- 1 nome de utilizador do sitemeter;
- 1 código de acesso ao sitemeter;
- 9 post it no outlook com mais outros tantos códigos e utilizadores para as coisas que uso menos.

"por razões de segurança actualize frequentemente os seus códigos de segurança e a sua password". "por razões de segurança nunca revele o seu código". "para evitar roubos de identidade, actualize a sua password para um nível de segurança mais elevado" . "a sua password vai expirar dentro de 5 dias. altere-a já.".

Quem me dera não ser agnóstica

- Quem são a mãe e o pai de Deus?
- Hum... (pausa para ganhar tempo)
- Deus nasceu do nada, mãe?

02 novembro 2009

fim do dia

Chego a casa, corro para a casa de banho onde agradeço o alivio corporal do chichi que de mim se desprende generosamente. Lavo as maos, começo a recolher tudo o que está fora do lugar enquanto vou adiantando o jantar, lavo a louça, dou banho à filha, visto-a, brinco às cowgirls, termino o jantar, ponho a mesa, revejo as facturas, vou espreitando o email, jantamos, insisto lava os dentes e faz chichi enquanto levanto a mesa e lavo os pratos, conto uma história, abro bem os olhos para nao adormecer e, já bem avançada a noite, por fim liberto-me, tiro o soutien, coloco-o junto aos outros dois ou três que se acumulam na prateleira ao lado do computador e começo a imaginar os post que nunca escreverei.

spiderman theme lyrics

Spiderman, Spiderman,
Does whatever a spider can
Spins a web, any size,
Catches thieves just like flies
Look Out!
Here comes the Spiderman.

Is he strong?
Listen bud,
He's got radioactive blood.
Can he swing from a thread
Take a look overhead
Hey, there
There goes the Spiderman.

In the chill of night
At the scene of a crime
Like a streak of light
He arrives just in time.

Spiderman, Spiderman
Friendly neighborhood Spiderman
Wealth and fame
He's ingnored
Action is his reward.

To him, life is a great big bang up
Whenever there's a hang up
You'll find the Spider man.

01 novembro 2009

O último dos Lobos

Foi-se António Sérgio. O Toni. O "tio" como lhe chamávamos. Foi ele que impulsionou a minha banda de originais aqui há uma década atrás (já??!!), foi a convite dele que fiz dois dos concertos mais giros que dei na vida no também já extinto Ritz Club, estive com ele duas vezes na rádio comercial, uma delas para promover a minha banda Woodstone, e a outra inserida numa homenagem a Led Zeppelin em conjunto com a sua mulher, Ana cristina, Álvaro Costa, Nuno Calado e António Freitas, das duas vezes, para o programa de autor mais marcante da última década, "A hora do Lobo". Foi uma voz quente que dava alento em muitas noites onde só o rádio no carro zumbia, foi uma descoberta e fez-me descobrir como a tantos outros, criações musicais de excelência perdidas por aí e habitualmente fora das playlists impostas. Foi um amigo de passagem, foi um momento na minha vida, foi um mentor em tantos aspectos que não só o musical e foi o último dos lobos. Hoje foi um dia triste.

31 outubro 2009

Ainda agora o blog se via negro

Uma gaja distrai-se a parir um filho, volta e descobre que está em crise existencial. Ou será que são as hormonas que me fazem ver tudo encarnado? (ai filha vermelho não, que é possidónio).

Vou ali dar de mamar e já volto com um spiderman para colar na parede.

30 outubro 2009

HOJE É SEXTA-FEIRA!

VAMOS TODAS PASSEAR COM O CAPITÃO BÊBADO E O BUCHO CHEIO DE PANQUECAS!!!!!

VIVA PETZI .....O "BON VIVANT"!

Dúvida

A minha cadela, que é uma espécie de aspirador, comeu qualquer coisa que não devia e acabou de vomitar um líquido amarelo ali na varanda, com um ar muito enjoado. Não sei porque é que foi só isto que me veio à cabeça quando cheguei hoje aqui ao blog para postar.

29 outubro 2009

,,,,,,,,,,,2

A tua ausência faz-me mal
Não é que não estejas ali, é que olhas e não vês, falas e é vazio.
Olhas o meu corpo que se mexe à tua frente e vês um espetro que se move como uma massa densa de nevoeiro, olhas os meus lábios que fazem movimentos como num filme mudo e todo o som que produzem é como um abafado aquático.
Não sei porque não me mandas embora e não sei porque eu não me vou embora.
Na tentativa de fazer despertar alguma réstia de vida em ti faço coisas que tantas vezes disse a mim própria que não voltaria a fazer. Digo frases que invento na hora e talvez por isso tu não as ouças.
Nem sei porque te quis salvar a vida uma vez se agora parece que te quero tanto mal. Contudo continuo a ir de 15 em 15 dias diligentemente cuidar da casa que, eu própria, não vejo tão bem como no princípio.
Gostava sinceramente que te chateasses, que me mandasses à merda, que corresses comigo para fora da tua vida. Mas tu não, nada, sempre com esse sorriso que aprendeste tão bem a fazer, sempre com essas frases-feitas-lugar-comum-redundantes-sem-volta-a-dar segues, segues como se o mundo não te afectasse. Contudo esqueces-te que tu também és um animal ferido, e que não adianta esconder porque quem conhece bem sabe a dor que tens na voz ainda que tu não fales para a esconder.
Não sei porque raio te quis salvar a vida.
Há coisas que não se devem fazer se depois não se podem continuar.
Nem em sonhos.

x ou y?

Ainda gostava de saber o que é isso dos orgasmos múltiplos que tanto se fala que nós, as gajas, temos. Será a capacidade de vir mais que uma vez, muitas vezes, um estado qualquer meio mistico que te faz atingir o nirvana? E porque será que dizem que as mulheres é que o têm? O meu amor é homem e aguenta muito mais do que eu... Acho que me anda a escapar qualquer coisa na minha sexualidade. Ou isso ou entao anda por aqui um y perdido pelo meu adn dentro.

Se alguém tem alguma pista sobre este enigma da natureza dita feminina, agradeço...

15 a 0

Este vermelho dá 15 a 0 ao preto. É o que tenho para vos dizer. 15 a 0.

Contra-relógio

Aviso de bateria fraca. Tenho agora 2 minutos para escrever. Está uma espécie de nevoeiro leitoso, tenho dezenas de coisas penduradas a lembrarem-me que existem e que sou grande e que tenho de as resolver. Mas queria só dizer uma coisa. Apetece-me uma bola de berlim.

ADORO

O blog hoje. Tinha saudades do snoopy e vermelho é uma das minhas cores.

A querida múltipla de uns comentários abaixo referia-se a uma destas figurinhas





Ou esta série?







Mas, para template, este parece-me bem melhor:









28 outubro 2009

Vermelho

Aquela camisola quentinha que eu gosto
A carteira dos documentos que a mãe me ofereceu
A luz na nossa sala
Os teus olhos cansados
O fim de tarde perfeito
As luzes em cima do palco
Uma les paul sunburst
A minha cara quando dizes que sou a mulher da tua vida
A ponta dos meus dedos a calejarem nas cordas do baixo
O "Crossroads" de Robert Johnson
A parede do nosso quarto
O calor dos amigos
A pressa com que estou a escrever esta posta, não vá a cor do blog mudar entretanto
Ufa, consegui.

ISTO É UM MOTIM

contra este negro que já me deprime o coraçao. Até que tenhamos um look como deve ser, como una vez nos prometeram, todos os dias aparecerá este lençol com as diferentes cores do arco-irís. E agradeçam que ando sem internet...

27 outubro 2009

Lost in translation?

A ver se acordo as múltiplas adormecidas

Tive uma ideia: mudar o template para encarnado e pôr uma águia ali no canto direito.
O que dizem?

26 outubro 2009

Seis, número seis

Regresso do estádio com um 6-1 debaixo do braço. Mais dia menos dia, damos mesmo quinze a zero.

25 outubro 2009

,,,,,,,,,,,,,

A cabeça estala-me.
Tento adormecer pela vigésima vez nesta manhã tardia de outono.
Por fim, de lado, adormeço com as mãos entre as coxas e as pernas encolhidas.
Imagino-te a entrar devagarinho na cama e a encaixares-te em mim, encaixamos sempre tão bem é tão quente o teu corpo no meu.
Adormeço com o meu respirar baixinho para que ninguém desconfie que estamos juntos, adormeço e o meu pensamento vai para longe, para perto de ti.
Sonho. Sonho que estás a morrer, que um cancro anormal te dilacera a próstata os intestinos o estômago, sei lá.
Também não interessa o sítio que ele escolheu para te começar a matar.
Sonho que vou de 15 em 15 dias e que fico sempre alguns dias. Sonho que te roubei a chave de casa porque tu não me queres ali.
Não porque não me queiras não porque não gostes da minha presença, pelo contrário, porque me queres demais, porque tens orgulho demais e achas que o que vejo não mereço.
Eu cago em ti. Decidi salvar-te. E quando decido uma coisa é assim que sou, como uma rocha que não liga às marés. Até nos sonhos.
Diligentemente limpo a casa, abro todas as janelas, encho o frigorífico, cozinho-te pequenos banquetes ainda que saiba que tu não ligas nenhuma a comida, bebo contigo, enfio-te no carro á força e levo-te a ver o mar.
Encho a tua casa de luz, encho a tua existência de significado, encho a tua vida com a minha.
Faço-te rir até ficares muito cansado e teres de dormir a seguir, e, enquanto dormes no silêncio da tarde eu fumo na varanda, fumo e bebo e choro por ti sem tu nunca te dares conta.
Que raio faço aqui nesta casa que não conheço, porque cuido deste corpo que não é o meu são perguntas que nunca me faço. Existem coisas que não carecem de sentido.
Fumo bebo e choro e isso são as únicas emoções que me permito a ter na tua presença que não sejam em relação a ti.
Entretanto acordo..............uma estranha sensação de vazio anda comigo á dias.
É estranho mas tenho a sensação que te salvei.
Pelo menos a parte que me era permitida salvar.

24 outubro 2009

A insustentável leveza do ser .....é uma merda

.

Não tenho forças nos membros, caiem-me as pernas e os braços.
Não posso sair à rua porque as abelhas querem-me atacar. Deve ser do meu cheiro.
Na minha cabeça, hoje, vive uma martelo pneumático.
O meu estômago não aguenta batatas fritas de pacote com sabor a queijo.
O meu quarto está um esterco, parece o último reduto da civilização humana.
Um monte de fotocópias acumula-se na secretária criando-me uma pressão muito pior que a atmosférica.
Só consigo beber café.
O tempo passa, passa, passa e isso cria-me uma ansiedade à qual o café não ajuda nada.
Os pássaros voam como que a rasgar o céu. Ver isso acalma-me.
O meu quarto cheira a sexo e não esteve cá ninguém.
A única coisa de interessante que me ocorre fazer é pintar as unhas de vermelho.
Pareço um quadro do Dali e isto não é nada de especial porque o Dali já há muito que deixou de ser especial.
O meu cérebro só consegue pensar cerca de 30sg sobre cada assunto.
Sinto várias e estranhas conexões que existem através de ondas de rádio.
A minha realidade está fragmentada.
Tenho de deixar o wiski.
Hoje vivo no paradoxo entre resignar-me ou resistir.
..... tenho todos os ingredientes para ter um dia de merda.....

22 outubro 2009

O mamute



uma história contada pelos El Bando

Já cá canta

Todas perdemos a garrafa de gin. Foi hoje às sete da manhã. Já cá canta e diz que é lindo.

Ouve isto e depois conversamos



e continua aqui