21 setembro 2010

ora então falemos de sapatos


para além de os podermos usar calçados, os sapatos são neste preciso momento (cinco horas e dez minutos da tarde) a minha maior paixão. 
o mimoso esverdeado de cima ficava a matar enfiado na boca de uma pessoa que eu cá sei. Para além de lhe realçar o tom de pele, poupava-me às inanidades que tenho ouvido nos últimos tempos.
a sabrina roxa é mesmo o que preciso para o tiro ao alvo ao meu gato, sempre que o vir a despedaçar o que resta do meu sofá.
o medonho encarnado de cima ficaria encantador pendurado no nariz do parvalhão que tentou ser simpático comigo ontem. Pelo menos, disfarçava o sorriso peganhento que ele tinha pendurado na fronha.
ou muito me engano, ou nos próximos quinze minutos sou mulher para saber o que fazer com os restantes seis trambolhos que aqui vos deixei.

4 comentários:

sete e pico disse...

nao duvido minha querida, nao duvido (e saio de fininho...)

a coluna vertebral disse...

Peras? Ouvi falar em peras? Oh, querida oito, conta aqui com a tua coluna para te dar uma maozinha!
Maozinha que, diga-se de passagem, tem muito jeito para 'arrumar' sapatinhos.

gerou-se a confusão natural disse...

Ora e quem fala assim não é gago! E já descobriste o que fazer com o douradito de baixo, à esquerda? Está-me a dar um apetite!

não resistiu ao wiski disse...

Olhem pois eu acho até piada ao douradito em baixo à esquerda.
Até me ocorreu pedir à oito para dar uma voltinha antes. Juro!
São bem bonitos.

Mas vá, prometo pisar umas cácas de cão antes de o devolver.