18 fevereiro 2009

Sim



"If homossexuals are allowed their civil rights, so would prostitutes or thieves or anyonee else".

As ideias de Anita Bryant não são muito diferentes das ideias dos opositores ao casamento entre pessoas do mesmo. Seriam apenas risíveis, se não fossem perigosas.

10 comentários:

Anónimo disse...

Nada como começar um debate desqualificando o oponente. É uma técnica antiga e muito eficaz que também seria risível se não fosse perigosa. Parabéns.

outro anónimo disse...

ó anónimo homónimo, onde é que está o debate?

Anónimo disse...

Onde é que está o debate? Sugiro ao meu homónimo que releia este post. E leia mais uns quantos noutros blogs. E veja televisão. E leia jornais. E depois faça a pergunta outra vez. Se for capaz.

Manyfaces disse...

Isto agora no casino é que está a dar. Se querem saber o que alguém pensa é levá-la até ao casino. Eu próprio estou a pensar em passar por lá mais amiude, a ver se consigo ser mais sincero comigo... Com Cardeais está visto que resulta. Eu acho isto tudo muito saudável. Nada como embrulhar o politicamente correcto e falar claro. Onde andavam os fundamentalistas católicos? Deixaram o palco aos Islamicos durante demasiado tempo... Agora que sairam do armário já é possivel discutir sem biombos. E isso é bom... Para homosexuais e para cardeais. E melhor ainda para cardeais homosexuais, que também os deve haver por aí...

foi dançar a bossa nova disse...

Caro Manyfaces,
Não posso concordar consigo. Se reparar bem, tendencialmente sãos os não religiosos ou, respondendo à invocação de cardeais, os não católicos que tendem a estender - às claras ou dissimuladamente - conceitos religiosos ou católicos a uma discussão civil, gerando a confusão, para depois concluir, num rasgo de brilhantismo, que tudo não passa afinal de uma questão de fundamentalismo. E assim se esvazia de sentido,conteúdo e valor qualquer troca de ideias. Pior, não se a admitindo sequer.
A discussão de ideias e de conceitos, das suas origens e destinos, para existir e não ser só uma birra tem de ser intelectualmente honesta, sem biombos não só para um mas para todos dos lados.

Pai de Filhas disse...

Engraçado...fala-se tanto em ideias e conceitos, mas não os li...onde estão?

Manyfaces disse...

mas, cara bossa nova, os fundamentalismos são mesmo assim, pouco sujeitos a discussão. Está-lhes na natureza. Honestidade intelectual? Com fundamentalistas, tá bem tá, aquilo já vem tudo enlatado em dogmas vários, não dá para sujeitar a grande discussão porque o argumento não vai de A para B e depois para C, cqd. No caminho entre as letras aparece Alá, ou a santissima trindade ou lá o que seja que tenha sido escrito em papiro há uns milénios..tcharan.... E contra isso argumenta-se o quê? Pode sempre dizer-se que "com todo o respeito eu acho que esse teu dogma não serve a discussão". Glup, fim de conversa, fica lá na tua, não me ofendas e por aí além... Conversa acabada. Por isso ao menos que saiam do armário para sabermos quem são e o que pensam.

e a verificação diz nopape, nem mais...

foi dançar a bossa nova disse...

Manyfaces,
Pois agora concordo consigo. No caminho entre as letras aparece "gays","igualdade", outros soundbites que tais e ...tcharan: habemus dogma!

blinte!também dá!

Manyfaces disse...

no caminho entre as letras estava mais a pensar em liberdade (dos outros) e em responsabilidade (a nossa). E dessa equação o meu resultado (hoje) seria: casamento homossexual sim. Mas como já mudei de ideias em relação a aborto não digo que a minha opinião não mude daqui a um ano... Não ser fundamentalista tem destes problemas... às vezes só quando se chega a C é que se sabe o que a letra significa... e isso é muito diferente de se partir de A já com a certeza de que C é de Concordo....

este oráculo da verificação não falha: slate
a nossa opinião nasce como uma tabua rasa que espera por ser escrita. Acredito nisso.

foi dançar a bossa nova disse...

também concordo com o caminho das letras! :-)

e a verificação agora é demias: benta!