23 setembro 2008

O casamento e quem vai lá dentro

Sempre que oiço falar em pessoas assexuadas fico a pensar que há alguma coisa na história que está mal contada. Como se não fosse possível viver sem sexo, sem desejo, sem a vontade de mais do que abraços e beijos inocentes.
Aqui encontram a história de um rapaz assexuado, casado com uma rapariga assexuada. Na noite de núpcias, convidaram os amigos para um jogo de scrabble. A única coisa que separa o casamento de Paul e Amanda dos restantes é o facto de não fazerem sexo. Riem-se disso e dizem que daqui a cinco anos serão iguais a todos os casais.

2 comentários:

JPN disse...

é mesmo possível? e para onde vão as partículas, os protões, os neutrões do sexo? e o que é isso de beijos inocentes? parece-me que esses beijos inocentes não o serão assim tanto.
:)

dualitate disse...

Não me interessa muito se é mesmo assim ou não. Cada um vive o que sente como deseja. Se as pessoas são felizes. Eu achei a noticia muito interessante.
Não me faz confusão nenhuma. Cada pessoa é que sabe o seu caminho. O meu é o meu, o dos outros é o dos outros. E tudo bem =).

Obrigada pela partilha

Espiral