23 novembro 2007

Departure day

Hoje fui-me embora. Olhei-me e vi o adeus dos meus olhos. Ainda pedi baixinho não vás, mas foi tarde demais.

6 comentários:

dizia ela baixinho disse...

já me aconteceu o mesmo. não tinha era estas palavras para o dizer. agora estão achadas. :)

sete e picos disse...

suspirooooo perante a beleza e a tristeza destas frases.

8 e coisa 9 e tal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
margarida disse...

Quando era mais pequena pensava, como todos os miúdos pensam, que poesia eram rimas. Explicaram-me então que poesia são sentimentos em palavras e que as poesias mais bonitas nem sequer rimam.. Quanto às poesias mais bonitas não rimarem direi quando tiver lido todas do mundo.. Quanto ao sentimento, mesmo que não tivesse percebido na altura, tinha-o feito agora.

Anónimo disse...

Se todo o ser ao vento abandonamos

E sem medo nem dó nos destruímos,

Se morremos em tudo o que sentimos

E podemos cantar, é porque estamos

Nus em sangue, embalando a própria dor

Em frente às madrugadas do amor.

Quando a manhã brilhar refloriremos

E a alma possuirá esse esplendor

Prometido nas formas que perdemos.

Sophia de Mello Breyner

cadaver esquisito disse...

"Hoje fui-me embora. Olhei-me e vi o adeus dos meus olhos. Ainda pedi baixinho não vás, mas foi tarde demais."

Hoje, antes do jantar, não perguntes por mim. Aqui apenas estou eu. Imagino-te naquele espaço infímo que existe mesmo antes das mãoes se tocarem...queria sorrir dessa imagem, mas levaste contigo o sorriso. odeio-te, sabes?
Olho para o espelho, já não estou lá.
Agora, só te vejo quando fecho os olhos.