24 fevereiro 2007

O Mestre Cozinheiro



Fui passar umas curtas férias à casa de campo dos meus pais, onde estão guardadas alguns objectos de estimação familiares. Ao decidir fazer um bolo para acalmar esta ânsia de algo docinho que me dá o trabalho na tese, encontrei uma das relíquias que toda a vida me lembro de ver na cozinha da minha avó: um livro dos anos 40, grosso, de capa cinzenta e páginas amarelecidas, com um ar sério, imponente e o título de “O Mestre Cozinheiro, Tratado Completo de Culinária e Doçaria, de Laura Santos”.
Não resisto a partilhar alguns excertos da introdução desta “jóia”:

“Minha Senhora:

Eis aqui um livro da mais alta utilidade, expressamente composto para todas as donas de casa, senhoras que desejam adquirir sempre mais e melhor, conhecimentos dessa arte que se chama: culinária. Trata-se de um livro recheado de boas receitas que farão as delícias dos paladares mais exigentes. (....) Folheando estas páginas, a dona de casa sentirá como que o desejo de ir experimentando esta ou aquela receita. (...) Como se sabe, desde os tempos mais recuados, a culinária representou um grande papel dentro dos lares donde o fogo eterno do amor não se apagará. Não há dúvidas de que os esposos são sensíveis a iguarias delicadas, gostando da novidade à sua mesa, muito embora essa mesa não seja sumptuosa nem tenha baixela armoriada. (...) Sem dispêndios excessivos, isto é, dentro do orçamento de todos os dias, a dona de casa, com o auxílio deste bom livro, poderá apresentar à sua família, pratos que os seduzam e provoquem até alegria durante o repasto. (...) A nossa arte culinária é rica. Contudo, nem sempre a dona de casa, ou a rapariga, que entra na vida pelo laço sublime do casamento, está apta a realizar os menus mais completos, distintos ou variados. Para essas, e para todas as mulheres em geral, foi composto este livro que ensinará, desde os mais simples aos mais complicados e apetecíveis manjares, numa gradação aliciante de receita que por si só fazem crescer a água na boca. (...) Todas as senhoras devem meditar nas altas vantagens dum profundo conhecimento culinário. (...) Portanto, que nenhuma senhora deixe de ter no seu lar, recomendando às suas amigas, este indispensável manual que contém suculentas receitas de todos os géneros e para todos os paladares. (...)”

Foi um verdadeiro deleite reler estas frases, agora a tantos anos de distância do tempo em que este livro era venerado como uma bíblia e guiava a vida das minhas avós.

1 comentário:

@ disse...

... a culinária representou um grande papel dentro dos lares donde o fogo eterno do amor não se apagará...

eu estava perdida se dependesse da culinária!rs...
Mas no fundo a vida de uma mulher nesses tempos deveria ser bem menos complicada.