07 junho 2008

Venus as a mother

Gostava muito de ter um filho homem. Um bebé lindo e maravilhoso, para mimar. Que cresce e se transforma numa criança que me acha a mulher superior a todas as outras. Passa pela puberdade a competir com o pai e a adorar-me. Que chega à adolescência e me aparece em casa com as namoradas. Eu a vê-las, a medi-las, a compará-las comigo e elas a perderem, a demonstrar-lhe subtilmente isso, se não funcionar demonstro-lhe a ela. Olhe bem para mim e para si, acha que está à altura? E se nada disso resultar, sobrevoo com o Enola Gay e atiro-lhe. Já viu do que eu sou capaz, tem a certeza que me quer como sogra?
Portanto, se calhar é melhor ter filhas mulheres. Iguais a mim. Que me infernizem a vida para dar valor à minha mãe. Deus não dorme.

3 comentários:

Jonas disse...

Quero e quero fugir de uma mãezita assim, mas é de uma ternura que eu nem sei...

na prise és bestial disse...

Muito bom.
(Espero que quando chegar a hora, deus não esteja a dormir a sesta.)

@na disse...

ahhh é tão bom ter filhos homens, é tudo o que descreveste e mais. Quando estamos a sair de casa à pressa, a fazer listas mentais na tentativa por vezes vã de que levamos tudo e não nos esquecemos de nada, quando o elevador está ocupado e estamos a entrar no pico do stress matinal. Um ser de 5 anos mira-nos da cabeça aos pés com ar de adoração e diz - 'Tás gira Mãe...
Ter filhos rapazes é tudo o que eu imaginei/quis e mais.
Que se lixe (salvo seja) a minha mãe, valorizem-me é a mim...