06 dezembro 2007

maravilhoso mundo num clix

Telefone e internet de banda larga, serviço bom, barato e rápido. Fui levada pela publicidade e assinei contrato com a clix.


Afinal o serviço é mau e lento. Ainda não sei se é tão barato quanto o pintavam - terei de esperar pela primeira factura.


Dois meses depois de ter assinado o contrato, depois de uma manhã perdida à espera do técnico da PT que não apareceu (o monopólio ainda e sempre), depois de vários euros gastos a falar com o serviço de apoio ao cliente, finalmente chegou o dia em que vieram activar o serviço. Quando abriu o pacote do router, o técnico descobriu que faltava o splitter - a peça que permite ter simultaneamente telefone e internet a funcionar.


Ligo para a fabulosa linha de apoio ao cliente com um chá de camomila na mão. Já sei o efeito que tem em mim o treino eficaz que aquela malta tem: ao fim do segundo «compreendo» fico com comichões, depois do quinto «compreendo» só me apetece esbofetear violentamente quem inventou estes medonhos métodos de apoio ao cliente. Compreendem tudo, não resolvem nada; compreendem tudo e nunca alteram o tom de voz; compreendem tudo e respondem apenas banalidades e frases vazias.

Será que já se inventou um manual de instruções para a guerrilha do consumidor?

1 comentário:

sete e picos disse...

o chá de tilia era capaz de ter sido mais eficaz.

e se manual ainda não existe, inventemo-lo