18 março 2009

Às vezes

Às vezes sinto uma angústia.....
Sinto-a no peito, assim perto da garganta.
Não gosto, não quero senti-la. Mas ela às vezes aparece, assim, sem avisar.
E quando eu acho que tudo vai bem que agora é que é...ela volta.


Às vezes sinto uma angústia .....


Alguém sabe um “remédio” para isto?

16 comentários:

zamotanaiv disse...

http://www.wonderfulland.com/vallado/

pla disse...

Concordo plenamente !

a coluna vertebral disse...

Querida Oito,
Engole e segue em frente. Vai um copito de Periquita?

8 e coisa 9 e tal disse...

zamotanaiv:
agradeço a dica mas não me parece que passeios e vinho branco me curem da angustia até porque o dia a seguir aos copos é sempre pior e os passeios também eles podem ser invedidos por ela.

querida a coluna vertebral:
estou farta de engolir de seguir para a frente. será isso solução? será que há solução queres com isto dizer que ela vai estár sempre aí? e já agora, qual é afinal o sentido de isto tudo?

pla:
..............

Eu disse...

Não sou adepto do "engole e segue em frente" (e muito menos do "bebe para esquecer"!!!). Já fiz isso durante anos a mais e a coisa correu muito mal...

Como sou de extremos, agora sou adepto do "põe tudo cá para fora".

Fala com amigos, com familiares, com animais, com plantas ou com Deus, mas fala!! E depois de tudo deitado cá para fora, além do teu próprio feed-back podes ainda ter a sorte de ouvir as palavras dos outros (todos, com execepção das plantas e dos animais)!

Por outro lado, acredita, é tudo uma questão de tempo...

Não "engole e segue em frente", sff!

Manyfaces disse...

O medo pode ser a tua fortaleza. Mas é preciso olhá-lo de frente. E isso é difícil.



Chico

Talvez não fosses forte
para a felicidade,
nem para o medo.

Olha as pessoas felizes:
ocultam-se na felicidade
como em casa, erguem

muros, fecham as janelas,
o medo
é a sua fortaleza.

O que disputam à morte
é maior que elas,
a morte não lhes basta.

Manuel António Pina, in "Cuidados Intensivos"

Fica bem Oito e Coisa.

sem-se-ver disse...

eu não sei, mas por isso vou tentando.

tente também.

se não tentar, pelo menos tentar, ela permanecerá, insidiosa.

(também permanece tentando, mas é menos frequente)

agora: tem que ser a oito a ir descobrindo, por tentativas, quais as tentativas mais eficazes: passear? chorar? berrar? ler? ouvir música aos gritos? ouvir música em surdina? conduzir muito depressa? ou muito devagar? olhar o mar? atirar-se para dentro dele e dar umas vigorosas braçadas? ou lentas e ritmadas? ou lentas e descompassadas? ou simplesmente boiar? ver tv? ir ao cinema? jogar copas na internet? ou em presença? monopólio com dinheiro a fingir? slots no casino? puxar uma baforada do cigarro? experimentar cachimbo? escrever poesia? ler poesia? rabiscar uns desenhos? entreter-se com ponto de cruz? dedicar-se a uma causa humanitária? abandonar o que tem? começar do zero? aproveitar tudo o que tem? continuar a contagem? apaixonar-se? desapaixonar-se? envolver-se? dormir? fazer amor? fazer amor consigo? optar pelo celibato? escrever posts? navegar no youtube? ir jantar fora? com amigos? amigas? sozinha?

às vezes basta olhar pela janela.

desde que aberta.

abra as janelas, oito e coisa.

um grande beijo.

nove e tal disse...

grande caixa de comentários, cada um no seu modo.

à excepção das múltiplas residentes, um grande sorriso para quem soube animar a minha múltipla:

zamot
pla
eu
manyfaces

muito obrigada!

hoje ela talvez eu amanhã.

zamotanaiv disse...

Sendo assim, a opção do eu parece me a mais acertada.
pode custar ou parecer que não leva a nada ou mesmo ridiculo mas é a melhor maneira.

acaba por aliviar

E depois convidas alguem para um passeio.

ah! e desporto! quando estás cansada fisicamente a cabeça não gasta muitas energias em angustias.

Até porque parece que quando fazes desporto há uma droga que o teu cerebro liberta que te faz sentir bem e sorridente. É por isso que os surfistas são todos meios felizes e aburralhados.... ou será das ganzas?

Não, o desporto faz te sentir bem

8 e coisa 9 e tal disse...

A todos um enorme obrigada!

Acho que de cada um dos vossos comentários se pode tirar um, ou vários, ensinamentos.

Só o facto de poder partilhar é optimo, mas o facto de ter resposta e de sentir que alguém se preocupa e se sente identificado é uma prenda incrivel.

Mais uma vez um obrigada do tamanho do mundo.

(se querem saber hoje já me sinto melhor.)
um grande abraço a todos!

gerou-se a confusão natural disse...

Eu não comentei mas liguei-te várias vezes crente no poder curativo das minhas palavras quando não estou sob efeito de periquita e o som distorcido de um apito de fax foi tudo o que consegui ouvir. Amiga, dança. Põe uma música a tocar e dança,dança muito, que tu quando danças tornas-te feiticeira.

sem-se-ver disse...

(oh nove, eu não soube?...)

sem-se-ver disse...

oito e coisa,

ainda bem que já se sente melhor
:-)

na prise és bestial disse...

Querida confusão natural, não é essa oito e coisa do telefone com piiiiiiiis. É outra. Uma cena tramada esta da multiplicidade.

nove e tal disse...

aiiiiii querida sem-se-ver!

pois claro que soubeste e TÃO bem!

as tuas palavras foram tão inspiradoras, aliás, foram elas que estiveram na origem desta minha intromissão nesta caixa de comentários.

vá-se lá saber porquê esqueci-me de por o teu nome na lista, raios...

sorry!

um beijinho muito grande
:)

sem-se-ver disse...

:)))

beijinhos a todas vós