09 novembro 2008

Amor sem ti

Danço aqui para que me vejas. Não tenho medo das minhas pernas demasiado nuas, dos meus braços exagerados, do meu riso sozinho no meio da sala. Sou a mulher sem medo que dança para que a vejas, sou a mulher dos olhos pintados (eu pinto os olhos), das noites cheias de gente e sítios (eu tenho uma vida), da música que oiço e dos livros que leio (roth eno hélder mehldau). Sou a mulher de saltos altos que muda pneus cozinha escolhe vinhos faz broches tem opiniões viaja lê. Sou a mulher que te sorri do meio da sala. Danço aqui porque sou tua embora ainda não o saibas.

5 comentários:

JM disse...

Dos textos mais belos do 8 e coisa-
Parabéns

Manyfaces disse...

Perante uma mulher destas um Homem pode perder a cabeça. Ou borrar-se todinho... Glup... Olhem, com toda a honestidade: vocês metem medo aqui à malta que nasceu lá para os anos 60... Cagufa mesmo... porque a mãezinha não nos ensinou que mulher é isto... Mulher era outra coisa... Se lia não andava de saltos altos e se fazia broches então não lia. Certo Mãe? Agora isto é tudo muito confuso e assustador. E ainda bem ó Mãe... Ainda bem... Tu também já deves ter percebido isso desde que arranjaste esse gostosão de 40 anos. Certo Mãe?

sete e picos disse...

muito bonito este amor

foi dançar a bossa nova disse...

muito bom! E grande Manyfaces!

8 e coisa 9 e tal disse...

Obrigada obrigada, diz ela de cabeça tombada para trás e as mãozinhas a dar a dar, numa incorporação amaliana que acontece na segunda 4ª feira de cada mês. E agora vou ali inventar mais um amor qualquer coisa, sempre a brincar.
(um abraço à mãe do manyfaces e ao quarentão que lhe anima os dias e as noites)