10 outubro 2007

andava eu deambulando por aqui

e por ali, entre uma oferta de emprego e outra, e encontrei-me com algo que parecia prometer deliciosos e edificantes momentos de leitura, mas, ó infortunio, não consegui aceder à entrevista completa dessa gúru da nossa praça, a sôdona Paula Trombone, perdão, Bobone. Mas vão lá na mesma que merece a pena.

5 comentários:

aflito co'as mãos nos bolsos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aflito co'as mãos nos bolsos disse...

ó que senhora tão atuxadinha de virtude..

8 e coisa 9 e tal disse...

afinal já consegui ler tudo e sim confirma-se, a senhora é um manancial de pérolas de reflexão, é profunda. Diz ela, "adoro este país e tenho pena que o trabalho dos políticos seja a desgraça que é. Lisboa está a cair de podre."

Lisboa é portugal e o resto é paisagem? Mas ela não vota nos políticos é demasiado boa para votar...

Ele disse...

Tinha lido no dia em que saiu. Recuso-me a dar tempo de antena a esse ser idiota e repugnante...

paula bobone não ela mesma disse...

eu acho o máximo que a minha homónima tenha como critério de avaliação dos políticos a simpatia e a aparência. No fundo é o que muitos fazem e não admitem. Ela nem é má, foi desenhada assim; quem lhe dá tempo de antena com a página 2 de um semanário que se quer impôr como referência é que tem de fustigar devidamente as costas.