25 outubro 2007

A estrada para Damasco

‘Saulo, Saulo, porque Me persegues?’.
‘Quem és Tu, Senhor?’.
‘Eu sou Jesus Nazareno, a quem tu persegues’.
‘Que hei-de fazer, Senhor?’.
‘Levanta-te e vai a Damasco; lá te dirão tudo o que deves fazer’.

de Actos dos apóstolos, Capítulo 9


Ando a tentar deixar de fumar. Andava há muitos meses com o desejo a rondar-me, a farejar-me, perseguia-me. Comecei a sentir-me mal, respiração pesada, pulmões apertados. Um dia comprei os adesivos na farmácia, no dia seguinte, sem qualquer motivo aparente nem data marcada, decidi: é hoje. Segui a posologia indicada, o modo de aplicação. Senti-me uma espécie de dumbo, que apenas conseguia voar quando agarrado à pena do corvo.

Persisti. Chegaram os dias duros, o stress, os problemas a resolver, os capítulos para acabar, os artigos a escrever, as cartas para mandar, telefonemas, dramas irresolúveis por mim. Estoica, continuei pela minha estrada de Damasco.

Um dia não resisti, permiti-me cair. No dia seguinte mantive-me firme e hirta no posto.

Passaram mais uns dias, encontrei um amigo e contei-lhe que estava a conseguir. Confessei-lhe que tinha prevaricado a meio, mas que me sentia no bom caminho. Ele disse-me que não me podia permitir isso, que se me deixasse cair em tentação o demónio vilão fumador dentro de mim começaria a perseguir-me, a repetir-me que não fazia mal deixar-me ir de vez em quando, que era humano, a arranjar-me todas as desculpas, e que me cabia a mim e a mim somente impedir que ele me ganhasse nesta luta.

Resistir às tentações, não deixar o diabo vencer-me, encontrar as minhas forças, preserverar na minha decisão.

Não sabia que deixar de fumar tinha tanto de religioso.

Amanhã será o meu segundo dia 1.

6 comentários:

nove e tal disse...

da primeira vez, fui a damasco - como me disseram - e voltei com as mãos vazias. essa foi a primeira vez de muitas outras vezes que lá voltei, sempre pela primeira vez.

agora, todos os dias volto a damasco. todos os dias são o dia 1 em damasco.

e sou feliz por isso. sou mesmo muito feliz por estar todos os dias no dia 1 em damasco.

sete e picos disse...

olhá nove e tal, seja bem aparecida que há muito tempo não a via, pensava que estava nas termas..

e querida oito força nisso que o caminho para damasco é duro mas olha, é como itaca, o importante não é lá chegar é fazer o caminho. E se me permites outra perspectiva, não estás no segundo dia 1, está no dia 9, número nove ou 10, um zero, com uma breve recaida pelo meio. E não estás a tentar, estás a conseguir apesar de todas as dificuldades, qualquer dia sem fumar é pelo menos uma linha, uma semana um bingo, um ano um acumulado... beijinhos para ti

sweety disse...

concordo com a sete e picos! também deixei de fumar e sei como é difícil este caminho de há dois meses para cá.
por isso cada dia é um dia. sem número, sem catalogação. é uma vitória nossa.
deixei de fumar porque
1ºincomodava os meus filhos.
2º a minha mãe pediu-me quando estava a morrer.
3º porque me apeteceu. foi uma opção que escolhi. estou feliz com ela. se um dia quiser muito fumar... não sei, vou pensar...

JPN disse...

estou contigo, irmã!

foi dançar a bossa nova disse...

o meu segundo dia 1 está à espera ha 2 anos. O que é preciso é coragem e uns golinhos de água benta!! :-)

gerou-se a confusão natural disse...

E vinha eu muito entusiasmada pensando"Vou dar-lhe um aconchego e assegurar-lhe que o diabo não a tomará assim tão eficazmente" quando constato que já o fizeram. Mas cá estou eu, mais uma testemunha de que todos os caminhos podem ter pequenas pausas para descansar e retomar a caminhada é sempre possível.E para mim já lá vão quase 3 anos menos uns cigarritos pelo meio.
Vá de retro, satanás!