24 abril 2008

Automarketing

Uma relação é como ir a uma loja cara, com coisas lindas, cheias de estilo e muito na moda: encontramos muitas coisas que queremos, mas, infelizmente, poucas que conseguimos realmente comprar.
Em primeiro lugar, precisamos de entender e aceitar que assim é.
Depois, convém que o que comprámos e pagámos a peso de ouro seja de excelente qualidade, senão sentimo-nos enganadas.
Eu acabo de constatar que nestes ultimos anos andei a comprar peças dos ciganos a preços de 5a Avenida.
Que grande merda!

4 comentários:

manyfaces disse...

O custo das coisas é sempre um custo de oportunidade... Aquilo que investimos numa coisa em detrimento de outra. Na altura a peça dos ciganos podia mesmo valer aquilo. O que estamos disposto a pagar resulta do valor que atribuimos à necessidade que vai ser suprida e... à escassez do produto no mercado. Na altura a necessidade podia ser muita ou o produto podia ser escasso (ou as duas coisas).

Para uma teoria completa:
"The economic Way of Looking at Life" Gary Becker, Nobel Lecture, 1992.

dorean paxorales disse...

As leis do mercado só se aplicam quando nos guizamos pela mesma escala de valores da maralha.
Libertai-vos, pois, senhoras! Amai os cegos, os fanhosos, os coxos!

"Mulheres amai o coxo,
Que o coxo também se ama,
Olhá graça que ele tem
em ir aos pulinhos p'rá cama!"

E acabou.

eu disse...

eu diria mesmo mais: a mercadoria não se mexe, não se altera;
talvez se pinte a casa antes de vender, só para disfarçar aquela mancha de humidade e uma ou outra racha que a desvaloriza, mas se a casa não tiver fundações, não há pintura ou estuque que lhe valha!!!
Será que andamos a enganar-nos uns aos outros quando pintamos as nossas casas antes de as por no mercado? não sei, talvez...

MiSs Detective disse...

grande análise de mercado!