10 janeiro 2007

Inspecção periodica obrigatória

Como tenho sempre carros velhotes, regularmente tenho de passar pelo número da inspecção ao dito. Há sempre uma altura em que eles me pedem "agora deixe-me ser eu a fazer", como se o facto de ser mulher me tornasse incompetente para dar umas guinadas no volante ou para travar a fundo. A parte das luzes, vá, deixam-me ser eu a fazer.
Acabo por lhes dar o desconto, afinal uns tipos que passam o dia a respirar monóxido de carbono dos tubos de escape alheios têm direito a poderem distrair-se durante os breves minutos em que olham para o meu rabo pelo canto do olho e me fazem pensar "será que não vai passar?", brindando-os com o meu melhor ar de donzela em apuros.
Temos de ser uns para os outros.

5 comentários:

manyfaces disse...

"..em que olham para o meu rabo pelo canto do olho",

Ups..., julquei que as Mulheres não percebiam que os Homens olham sempre para o rabo pelo canto do olho. Mais um segredo desvendado...
Há outro segredos mas a 8 e coisa já os deve saber todos... As Mulheres espertas são tramadas. Pior ainda são aquelas que sendo espertam não mostram condescendêcia nenhuma pelo coitado do mirone e lhe atira um "pare lá de olhar para o rabo e verifique lá os travões". O Mundo é cruel...

8 e coisa 9 e tal disse...

"pare lá de olhar para o rabo e verifique os travões" era uma frase que nunca usaria neste contexto caro manyfaces... eu quero é que o carro passe! Até porque este é um dos raros casos em que os homens conseguem fazer multitasking.

Já agora fique sabendo que também nós olhamos para os rabos pelo canto do olho - achava que era apenas uma prerrogativa masculina? Somos é mais discretas...

manyfaces disse...

As Mulheres em Portugal são demasiado discretas. E é uma pena... Os coitados dos Homens bem gostariam de ver o seu ego alimentado com uns olhares mais explícitos, uns piropos brejeiros. Tenho uma Prima que na sua fase adolescente-rebelde atirava no meio da rua uns piropos do tipo "Eh pá, és mesmo bom..." E às vezes nem era nada... Era um verdadeiro serviço público porque o destinatário ficava nas nuvens, trocavam-se umas risadas, enfim, contribuia-se para a felicidade do macho Ibérico. Assim é uma sensaboria. Podem andar por aí uns gajos até razoavelmente bons mas com o ego por baixo e ninguém lhes liga nenhuma. Já esse risco não correm as gajas, mesmo que apenas razoavelmente boas. Estão com a auto-estima em baixo, o cabelo numa lástima, a pele seca, mas basta porem um batonzinho vermelho-choque e chovem os olhares e piropos. É uma injustiça.
Há dias em que me sinto uma merda mas lá me esforço para parecer interessante, cabelinho cortado, barbinha bem feita, conversa caprichada ao almoço.. vou-me sentar lá na mesa das estagiárias, sigo as recomendações dos gatos e não me aventuro em mesas de gajas boas, que essas são forretas nos olhares, mas mesmo assim nada...
Acho que vou pôr anúncio no Correio da Manhã: " gajo apenas razoavelmente bom procura gajas da mesma condição para olhares e piropos. Assunto sério."

8 e coisa 9 e tal disse...

Acho lindo este teu apelo. Vou pô-lo em post e esperar que envies as fotografias de cara, corpo inteiro,traje de noite e fato de banho para correcta apreciação das meninas deste blog. :)

tumtum disse...

Podes crer, oito e coisa, não há uma única vez q tenha ido com o carro à inspecção e q não tenha sentido descriminação. É verdade q os inspectores tratam as gajas de maneira diferente. Saio de lá sempre desconfortável porque me incomoda o tratamento especial, mas como vou sempre com uma máquina decrépita e uma magra conta bancária, só tenho em mente a frase: deus queira q o carro passe! deus queira q o carro passe! deus queira q o carro passe!
Algumas espreitadelas de olho ou alguns piropos, os não ordinários, às vezes sabem bem, mas, pra mim, nunca numa situação de troca de serviços.
"Temos q ser uns para os outros" é uma atitude bem mais libertadora e bem humorada.