05 fevereiro 2008

Um doce elogio

Nas minhas eternas tentativas de fazer com que a minha filha coma alguma coisa de manhã, acho que já comprei todos os cereais, bolos, bolachas e salgados que se cruzaram por mim. Hoje foi bolo de noz que impingi. Sucesso! Criança comeu, comeu, comeu e comentou:
- oh mãe!, isto está tão bom que parece que foste tu que fizeste!

E não é essa a benção da infância? Aqueles momentos em que acreditamos que os nossos pais sabem fazer tudo.

7 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

Quem foi o poeta que disse
'abençoada pátria que tais mães tem'? Ou era filhas...?
Tanto faz
ou era desgraçada!?
A pátria...

Micas disse...

Lindo! ;-)

nove e tal disse...

caro pirata,

"ditosa pátria que tais filhos tens" (Luís de Camões, Canto VII)

abençoada é adaptação moderna. eu substituiria pátria por mátria. já que de adaptações falamos.

micas,

é bonito, pois é. :)

cs disse...

enterneceu-me e fiz um sorriso.
bonito sem dúvida
:))

-pirata-vermelho- disse...

(Obrigado e desculp'o desvio!
Pois é...
ditosa)

nove e tal disse...

ora, pirata, de nada!

um abraço para si.

p.s. a pátria - essa sim - é desgraçada. desgraçadíssima desgraçadinha. desgraçadamente desengraçada. destoada, desafinada, derrapada, desconchavada. desviada. deslavada.

(porquê?)

d. inês sequiosa disse...

é a benção da infância, sim. O aborrecido é que passamos directamente da benção da infância para o veneno da adolescência, no dia em que descobrimos que afinal os nossos pais não sabem fazer tudo e são pessoas como todas as outras. Daí para a psicoterapia é um pulinho.