17 dezembro 2006

Artigo 1º da Constituição portuguesa

Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.
Actualização
Ontem à noite falava sobre a ignorância da maioria das pessoas em relação às leis em geral, à constituição portuguesa em particular. A Constituição devia fazer parte da cultura geral dos cidadãos da República Portuguesa. Nem de propósito, juntou-se a nós um especialista na matéria que nos revelou o artigo 1º e passámos o resto da noite a discutir o Direito e a Sociedade.
Fico muito orgulhosa que Portugal se baseie na dignidade humana; mais, que esteja consagrado no artigo 1º a vontade e o empenho de toda a população na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.
No entanto, estou convencida que a maioria das pessoas não sabe que o seu envolvimento na matéria não só é um direito que lhes assiste como um dever para com a República Portuguesa. Um dever para consigo e para com os outros.
Acho que os constitucionalistas que redigiram este texto foram ainda mais líricos que eu, se tal é possível. Acreditaram num mundo melhor e na vontade empenhada dos cidadãos na construção desse mundo.
E se imprimisse cartazes com o artigo 1º e os espalhasse de norte a sul e arquipélagos? Talvez depois disso fosse possível começar a pensar no assunto - de pôr as pessoas a pensar e a agir.
Um mundo melhor não só é possível como é constitucional.

4 comentários:

Anónimo disse...

Já foi uma das constituições mais avançadas e completas do seu tempo...
Que pena que a mudança das mentalidades não acompanhe a pena do legislador!

jorge miranda disse...

liricos, liricos foram os que escreveram "pursuit of happiness"

o chofer a dançar com a criada disse...

disseste zoociedade?

sete e picos disse...

chamem-me lírica, chamem-me naif, chamem-me o que quiserem, mas é bonito saber que o artigo primeiro da nossa constituição é a procura da dignidade e de uma sociedade mais justa e solidária. Eu também espalharia cartazes por toda a cidade para que não nos esqueçamos disto, pois a amnésia parece andar a passar por aqui.

E também na nossa constituição vem que deve existir a igualdade entre homens e mulheres, outra das coisas que convém não esquecer pois ainda falta muito cainho para andar nesse campo.

Mas como todas as leis gerais, a constituição é o conjunto de principios orientadores das outras leis, agora o que é preciso é encontrar as formas de exercer a vida em sociedade de forma a que não perdamos de vista o nosso norte (ou sul, ou oeste, como quiserem)