06 dezembro 2006

manhã de quarta-feira

A academia é uma seca. A academia cheira mal. A academia vive da repetição das mesmas ideias disfarçada em palavras diferentes, do horror às ideias novas, do deslumbramento com as modas. A academia enche toneladas de papel com inutilidades, com rendas de bilros e com vénias mútuas.
E isto serve a quem?

7 comentários:

no baile da D. Ester disse...

Serve aos académicos que são uma seca, que cheiram mal e que vivem da repetição das mesmas ideias disfarçadas de palavras diferentes.

E para fazer a vida negra aos académicos que são frescos, cheiram bem e que aparecem com ideias novas, a deitar abaixo as palavras que já existem.

8 e coisa 9 e tal disse...

Serve para as passagens de modelos dos congressos conferências seminários workshops e outros acontecimentos científico-culturais de premente e urgente importância, serve para alimentar a indústria das revistas ditas científicas, serve para promover a burociência.
No baile da d. ester, não sei se essa ideia dos novos e frescos e velhos e secas é rigorosa. A politiquice e pequenez distribui-se igual e generosamente por todas as pessoas e não há vacina para este mal.

a disse...

Manifesta-te!

sete e picos disse...

estamos de facto no país dos dóótores e dóótoras. Para mim o grande problema ontinua a ser que a academia, apesar de esforços visiveis nos ultimos tempos, continua a estar muito longe de se articular devidamente com o mundo da prática e fecha-se ou defende-se em em conceptualizações escritas e pensadas em linguagem hermética que só os proprios académicos entendem. E para isso, não há pachorra sôs dótores!!

dizia ela baixinho disse...

só te dá isto às 4ª feiras de manhã? ele há gente afortunada...

manyfaces disse...

Académicos e academias. Já vi, já fui, já deitei fora. Aturo-os agora sofridamente do outro lado da cortina. Eles sorriem com aquele sorriso de quem está bem instalado, de quem não quer saber. A erva cresce debaixo da sola dos sapatos e às tantas as raizes vão por ali fora e chegam ao cérebro. E então entra-se em piloto automático...

All you life in this wonderful loop. Come and join this beautiful merry-go-round:

1) This grant is for you, your work is for me.
2) Publish or parish, so you publish for me.
3) Kiss my ass for the right number of years and maybe one day you can go to step 1 and start your own loop!

8 e coisa 9 e tal disse...

Many faces, mais coisa menos coisa é isso mesmo.
A mediocridade não paga imposto. E, em muitos casos (a academia é apenas um deles) recebe subsídios.