04 dezembro 2006

Diga trinta e três

18 comentários:

8 e coisa 9 e tal disse...

La la lalalalalalalalallala la la
(muitos parabéns à linda menina)

a menina dos anos disse...

Obrigado, obrigado... big multiple is watching you.

dizia ela baixinho disse...

(pues que mirada fatal tiene esta chica...)

múltipla dos múltiplos olhares, multiplico os meus beijos de parabéns e elevo-os a 33!

...muitas felicidades, muitos anos de vida!

umbral despencado disse...

A idade da múltipla quando nasceu.

Parabéns tantos

Beijos

poet-bomber disse...

Este porque é apropriado para a festividade ( e é brasileiro :p )

--------------------------------
Soneto de aniversário

Vinicius de Moraes


Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

(Rio, 1942)
--------------------------------

Este porque é belo :

--------------------------------
Álvaro de Campos

Aniversário

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a.olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui...
A que distância!...
(Nem o acho... )
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes...
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio...

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos ...
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim...
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui...
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas, o resto na sombra debaixo do alçado,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos. . .

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira! ...

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!...


Feliz aniversário :)

sete e picos disse...

querida multipla, um enorme abraço e muitos desejos realizados nestes trinta e três, que se "arrepitam" por muitos... feliz cumpleaños

pla disse...

muy feliz cumpleaños, cariño!

no baile de anos da D. Ester disse...

obrigada, gracias, grazie, thank you, merci, danke, arigato.

Primeira decisão sábia dos 33: comer mais fruta e comprar um frasco de centrum.

o chofer a dançar com a criada disse...

senhora, companheira, camarada blogueadora, grandes parabéns, essa é uma idade linda,logo a seguir aos 32 e mesmo antes dos 34.
"for those about to rock, we salute you"

beijos enormes.

JPN disse...

parabéns...ok, eu não canto...

no baile de anos da D. Ester disse...

jpn, :)

Poema que o meu pai me costuma dizer todos os anos:

Com que então caiu na asneira
De fazer na quinta-feira
Vinte e seis anos! Que tolo!
Ainda se os desfizesse...
Mas fazê-los não parece
De quem tem muito miolo!

Não sei quem foi que me disse
Que fez a mesma tolice
Aqui o ano passado...
Agora o que vem, aposto,
Como lhe tomou o gosto,
Que faz o mesmo? Coitado!

Não faça tal: porque os anos
Que nos trazem? Desenganos
Que fazem a gente velho:
Faça outra coisa: que em suma
Não fazer coisa nenhuma,
Também lhe não aconselho.

Mas anos, não caia nessa!
Olhe que a gente começa
Às vezes por brincadeira,
Mas depois se se habitua,
Já não tem vontade sua,
E fá-los queira ou não queira!

Dia de anos, João de Deus

dorean paxorales disse...

Parabéns... Aproveito e bebo um copo à sua ;)
Sem Zentrum.

JPN disse...

Para ti, que és da festa, os meus muitos parabéns.

Anónimo disse...

parabéns à homónima, que tem uns belos olhos.

manyfaces disse...

Os olhos não dizem, os olhos não dizem...

no baile de anos da D. Ester disse...

obrigado por mais estes parabens!

manyfaces, que esperava que os olhos dissessem?

tumtum disse...

Mais uma vez parabénsssss D ester lalala.
ganda sorte o jpn não cantar os parabéns, hein?? Quem é amigo? E não vais dos 33 sem tão generosa prenda.
Beijinhos para o jpn tambem :)
pois q tenho saudades dos amiguinhos.

manyfaces disse...

... mais do que o necessário (os teus)