08 dezembro 2006

O sentido do blogue

- Estás acordada?
- Sim, estou.
- Pergunta difícil: porque se tem um blogue?
- Sei lá, por tantos motivos. Eu não tencionava ter um, mas desafiaram-me. Porquê? (se queres uma resposta mais elaborada também se arranja).
- Deixa lá, está óptimo assim.
- E tu? Porque criaste um blogue?
- O meu ajudou-me, a minha família ficou a conhecer-me melhor...
- Porque era uma maneira de comunicar com os teus amigos quando foste para aí, certo?
- Mas não sei qual o objectivo concreto, ou o que está por trás disso...
- Sei lá, para uns é um exercício um bocado umbilical, para outros uma terapia, para outros uma oportunidade profissional, para outros uma forma de exibicionismo... Podem ser tantos os motivos. E todos igualmente válidos.
- Pois...
- Mas se queres que te diga, também não destrinço o real significado.
- Deixa lá. Não é importante a razão, desde que ainda faça sentido.
- Sempre tive imensos lugares onde escrevia, mas que eram só meus e que não mostrava a ninguém. Aqui a coisa inverte-se: tem a forma de um diário porque se escreve mais ou menos - idealmente - com essa periodicidade. Mas passa-se da esfera privada para a pública.
- É isso que às vezes também me baralha: o público...
- No início não se está muito bem consciente das regras do jogo. E isto é giro, ver o texto, as imagens, dá uma certa euforia, posta-se, posta-se, posta-se compulsivamente, com gosto. Recebem-se as primeiras mensagens de apoio, os primeiros aplausos. Depois, não sei muito bem, mas quando o blogue sai da esfera dos amigos - os leitores primeiros - acho que há um recuo, uma inibição.
- Enfim, enquanto valer a pena. Contra os canhões, postar postar.
- Podes crer. Porquê a dúvida agora?
- Às vezes deixa de fazer sentido.

8 comentários:

acendam o castiçal disse...

postar ou não postar, that´s the question.

Para mim o blog, para além das vertentes lúdica e "terapeutica" tem também uma vertente politica muito importante, é um meio de divulgação e discussão importante e enquanto assim for concordo com a frase, contra os canhões postar postar!!

no baile da D. Ester disse...

Devo ser a menos existencialista das múltiplas. Para mim o blog simplesmente é, sem grandes sentidos ou orientações ideológicas.

Nunca tinha ligado a ponta de um corno aos blogs até ter aparecido a ideia das 8ecoisa, e agora continuo sem ligar grande coisa: há 3 ou 4 que leio frequentemente, pelo enorme prazer da leitura de textos inteligentes e com graça. Aqueles que se levam muito a sério não me interessam para nada. E aqueles que escrevem considerando a vastissima audiencia que seguramente têm, tão pouco.

Para que nos entendamos: leio o perguntarnaoofende, o boato, o estado civil e o mundo perfeito. Sou como a Jessica Rabbit, fiel aos que me fazem sorrir. Há também o Respirar o mesmo ar, que visito diariamente.

É como as afinidades na vida real, penso eu. Só que aqui não há necessidade de interacção directa.

Agora o The meaning of blogging; diverte-me. Distrai-me. Quando me fartar vou-me embora e pronto. Sem grandes pré avisos nem despedidas.

o chofer a dançar com a criada disse...

arquive-se!!! e mai nada!!!
é isso mesmo no baile da d.ester! muito bem posto!

ManyFaces disse...

Porque blogo? Mais curioso ainda: porque coloco tão pouca coisa no meu blog e passo o tempo a responder em blogs? Isso é ainda mais efémero porque não guardo sequer registo dessas dezenas de respostas diárias.
Citando-me:


[...
“o inferno são os outros”, dizia o tal filósofo que viajou para Portugal no pós 74. Eu não concordo. Os outros não estão no nosso caminho, os outros fazem parte desse caminho. Para mim o inferno é o que me separa dos outros e a frustração por essa distância.
...]

Talvez uma resposta, talvez uma resposta... ajude a...

8 e coisa 9 e tal disse...

Como múltipla existencialista que sou, mais dia menos dia teria q escrever um posta sobre este assunto (ó chofer a dançar com a criada, não se arquiva nada o assunto! q esta discussão interessa-me).

Devia ter referido no post que este diálogo não foi inventado e - mais coisa menos coisa - ele é a reprodução fiel de uma conversa entre mim e um amigo meu, algures em julho. na altura era ele que se questionava. no sábado, quando postei, foi a minha vez de me interrogar.

Claro que o blogue tem muitas mais vertentes do que aquelas que mencionei na altura, mas optei por não mexer no texto. para mim, o sentido - hoje, dia 11 dezembro - resume-se a uma questão lúdica, de entretenimento (muito embora, no meu caso e em alguns momentos, já tenha servido outras funções). por outro lado, o facto de ser um blogue colectivo dá uma outra dimensão: liga-nos a um grupo de pessoas, cria-se um organismo vivo, estabelecem-se redes e cumplicidades.

não sabia ao que vinha quando comecei a postar. mas diverte-me. gosto que nos leiam e q se divirtam com o q escrevemos. não temos linha editorial, o blogue funciona quase que anarquicamente, como também não temos uma estratégia de marketing nem de promoção. nem nos interessa (por mim falo).

mas às vezes... às vezes. é o que dá ter personalidade múltipla.

sete e picos disse...

bem, já que estamos a falar nisto, também devo dizer que apesar de ser uma multipla existencial ainda não tive crises existenciais sobre o porquê do blog.

Este blog surgiu de um dia para o outro e foi todo um descobrimento para mim, pois não conhecia outros blogs sem ser o respirar o mesmo ar e através do oito e coisa comecei a descubrir mais o mundo da blogosfera e o entusiasmo de postar.

Para além da vertente lúdica, que é para mim fundamental, e da possibilidade de poder partilhar coisas com mais pessoas para além dos amigos e amigas da minha mail list, está também a outra vertente mais politica que falei acima. O blog para mim é também uma maneira de poder expressar e partilhar (algumas) convicções politicas, que fazem parte da minha maneira de ver e de estar no mundo. E gosto quando isso dá discussão, mas também não me chateia quando não geram comentários.

Gosto de ler as postas das minhas multiplas, é sempre uma surpresa, acho que é um dos lados bons dos blogs colectivos. E também gosto que nos leiam, claro.

E quando acabar acabou, que não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe, como dizia a minha avó que era sábia.

A brincar a brincar, já lá vai mais de meio ano de oito e coisa. Tchim tchim multiplas.

no baile da d. ester disse...

marketing e promoção? Do género compre uma e leve duas múltiplas para casa? Era giro era... olha, espera lá que posto esta

8 e coisa 9 e tal disse...

dá-lhe!