02 março 2007

E se o Che Guevara fosse feio?

As feias que me desculpem, mas a beleza é fundamental, dizia o Vinicius. Uma frase cheia de machismo, apenas porque dita por um homem sobre as mulheres. No entanto, é uma frase independente de género.

Por muito que não se queira, a beleza é um factor muito importante na aproximação dos outros. A beleza é muito poderosa. Pode fazer toda a diferença na mitificação de pessoas, seja na vida privada ou pública.
Che Guevara ficou para sempre um ícone não apenas pelo que fez, mas quase tudo pela sua imagem. A famosa fotografia que, de tão estampada em t-shirts, já não se pode ver. A bóina, o charuto, a farda. A fotografia do seu corpo morto, a lembrar o cristo de Mantegna, lindo até inanimado, o cordeiro de Deus da revolução. E se ele fosse feio, teria ficado alguma coisa desses tempos de Cuba, para além da eternidade castrense?
----
Um tio meu ouviu numa livraria duas raparigas a conversarem: "vou comprar este livro" "achas que é bom?" "não sei, mas o escritor é lindo".
Por acaso, o escritor é mesmo muito bom; não sei é se alguma delas chegou a perceber isso.
-----
O meu ex-namorado, que parecia ter sido esculpido por Miguel Ângelo, ia aos arames quando lhe dizia deliciada "és tão bonito"; respondia sempre "sou só isso?". Pois claro que não, mas ajudava.
Lembro-me de ler que o Marlon Brando ficou feliz quando partiu o nariz. "Agora vão deixar de me achar perfeito e ouvir o que eu tenho para dizer". Continuou a ser um sex symbol, e ninguém deixou de lhe dar valor por isso.
-----
Tenho amigas intelectuais para quem a beleza é uma coisa superficial, cuja apreciação deve ser reprimida e de evitar em categorizações. Os giros são aqueles com cabeças que nos interessam, as carinhas larocas e os corpos danone são para as tontas que não têm mais nada com que se preocupar. Levei durante anos olhares de desdém pelas minhas apreciações estéticas dos homens, e bocas foleiras de cada vez que aparecia um homem bonito na sala "estava-se mesmo a ver que lhe ias achar graça", como se fosse um vírus para o qual elas eram imunes.
Foi por isso que recebi com grande alegria um telefonema de uma dessa mulheres, ao descobrir o prazer estético-lúdico-sensual na apreciação de homens com corpos harmoniosos e caras agradáveis, numa época em que esteve muito perto (sortuda) de vários espécimes atraentes. "Percebo-te". Não há nada como o empirismo.

8 comentários:

Ruiva disse...

A beleza é tão efemera quanto apelativa...
Os primeiros a comer são mesmo os olhos! ;)
Quanto aos mitos, lembrei-me da Cleopatra, que passou à história como um icóne de beleza com o seu nariz arrebitado... No entanto, investigações recentes mostram que a senhora era baixinha, gordinha, com dentes podres e nariz adunco até mais não! Enfim muito longe do que se previa...
Perece-me que quando as pessoas passam a personagem históricas pelas suas acções e evoluem a mitos devido a este ou aquele contexto, a esta ou aquela façanha, se não são belos, arranja-se maneira de embelezar o mito! Com a Cleopatra a coisa resultou durante séculos... Curiosamente pouco se fala da incrível capacidade estratégica e de liderança da senhora... :(

Anónimo disse...

claro que se fala da capacidade estratégica e de liderança...e até apontam os exemplos de manipulação dos homens que lhe passaram pelas mãos (quiçá por outras partes), ou seja quando falaram "bem" não se esqueceram de contextualizar

mac disse...

Aquela conversa que o que conta é a beleza interior, é mesmo só conversa. Se aparecesse alguém inteligente e bem falante, mas feioso, queria ver se continuavam com este tipo de conversa.

sete e picos disse...

de caritas larocas está o mundo cheio agora de gajos que abram a boca e não me façam querer fugir nos 5 segundos seguintes é que são poucos, bem poucos... Por isso, esta amiga pragmática(que eu cá não gramo muito intelectuais) se confessa, gajos giros é um gosto para o olho, é sim senhora, não foi à toa que eu papei telenovelas brasileiras anos a fio, mas daí a que sejam fundamentais... isso já é outra conversa. Se o Che fosse feio não deixaria de ter feito o que fez, apenas haveria um nivel mais baixo de hormonas por esse mundo fora.

Apreciem-se as formas mas que estas nunca se sobreponham aos conteúdos!

PE disse...

Este blog tem muito sumo sim senhor! E é muitíssimo bem escrito...

Beleza?!? Sim é importante (diria muito?), mas não é tudo. Depois de passar o desejo ardente de ter um ideal socialmente imposto de beleza ao nosso lado que tal continuar com alguém que com ideias e ideais nos seja capaz de completar?

Parabéns, mais uma vez, pela escrita!

nove e tal disse...

se o che guevara fosse feio era e pronto. as t-shirts e outros q tais seriam outros, ou não seriam de todo. Fidel Castro é um ícone de outras revoluções e é feio como a noite dos trovões...

p mim, a beleza é qq coisa mais 'ampla' do q aquela q descreves, oitoecoisa. passa pelos gestos, pelo movimento, pela maneira de falar e - sobretudo - pelo que diz e pensa a 'criatura'. não consigo dissociar estas dimensões de um todo q é muito mais complexo e que não se reduz a uma dimensão q é puramente física. em suma, a beleza 'strictus sensus' não me diz muito.

8 e coisa 9 e tal disse...

viva a multiplicidade e a diferença. No entanto, há umas coisas a esclarecer:

1- corpos harmoniosos e caras agradáveis sem conteúdo não me dizem nada. Sou uma rapariga exigente. Por isso modelos e manequins, a quem não conheço pensamento e palavra, são uma classe com quem não perco tempo. Se não, veja-se a posta dos artistas todos portugueses. Não há ali nem uma carinha a quem não reconheça mérito na sua profissão (única parte do seu pensamento e palavra a que tenho acesso, e basta-me)
2- A beleza de que falo (obviamente diferente daquela que algumas de vocês leram) vem muito de uma qualquer coisa que vem de dentro. Há uma frase da minha avó que se aplica perfeitamente a isto "não é bonito mas é muito interessante" (com ênfase no muito). Não estou a pôr as mãos à frente nem a aumentar o espectro de visão, apenas a explicar que não olho para bibelots, olho para pessoas.
3- Uma mulher bonita e agradável também é bom, mas não tanto. É indissociável a carga erótica desta questão. E como eu gosto mesmo é de homens, olho para eles de forma diferente. Apesar de me apaixonar pelas amigas, como toda a gente.

Dito isto, mantenho o que disse na posta. Gosto de beleza.

Anónimo disse...

Che é importante por revolucionar a historia e não a beleza...beleza só é importante pra gente idiota que não se dá o valor e nem dá aos outros...