11 março 2007

Lei de Murphy - teoria e prática

Saímos todos juntos da festa. Beijinhos, despedidas, cada um para o seu carro. Quando estava a arrancar oiço buzinadelas insistentes, volto para ver o que se passa. O carro deles não pegava, devia ser bateria. Ligamos ao Manel, ele tem cabos, que volte para trás.
Digo-lhes que se as luzes do carro funcionam não pode ser bateria, mas como sou rapariga ninguém me liga nenhuma.
Chega o Manel, quando vê que as luzes se acendem conclui que os cabos são inúteis porque se há corrente para os faróis a bateria não é a causa do problema. Não digo nada, mas fico contente por confirmar que os meus rudimentos de mecânica aprendidos com o mini de 20 anos como primeiro carro me terem preparado para a vida na estrada.
Tens gasolina, pergunta o douto Manel. Que sim, que acabou de entrar na reserva mas que ainda dá para 50 Km. E o óleo tens visto? Acho que sim, foi a resposta. Tememos que o carro esteja gripado e dado assim o triste pio. Controlam o nível, o óleo já viu melhores dias mas ainda há uma quantidade razoável.
Esgotadas as opções do senso comum, como a máquina insistia em não arrancar, telefona-se ao maravilhoso ACP. Nome, matrícula, marca, modelo e cor do carro, onde se está. "estou na praia das maçãs". "Na areia?", pergunta a voz do outro lado, certa de ter encontrado o diagnóstico correcto para a maleita que os aflige. "Não minha senhora, isso é o nome da localidade".
45 minutos depois chegam os técnicos ao local. "Então o que é que se passa?" "O carro não pega e não percebemos porquê". O senhor de farda senta-se no lugar do condutor, dá a volta à chave e o mui estupor decidiu funcionar à primeira.
Como conheço de gingeira este corolário da Lei de Murphy, sempre que oiço um barulhinho estranho no meu carro entro numa oficina. Não lhes peço para fazer nada, mas o efeito psicológico num objecto sem sistema nervoso tem um poder milagroso impossível de ignorar.

4 comentários:

Sophia disse...

É incrível como as máquinas também comigo têm essa personalidade difícil... Posso passar uma tarde a tentar ligá-las, mas se chega o "mecânico" funcionam logo.

nove e tal disse...

hahahaha!

Mas, querida múltipla, q história é essa de 'como 'és rapariga ninguém te liga nenhuma?'! O q é certo é q tu tinhas razão... ;)

beijos de bom domingo!

outro blog disse...

ahahahahah....amei
"....num objecto sem sistema nervoso tem um poder milagroso impossível de ignorar..."
vou pedir emprestado na proxima vez que alguma semelhante me acontecer.
ri-me imenso...

8 e coisa 9 e tal disse...

Mas de vez em quando sou mesmo naba... uma vez queixava-me que tinha ficado sem som no pc, liguei para o sempre querido amigo informático. Ele deu voltas e mais voltas, a placa de som estava ok, as definições também, não se percebia o que era. De repente fez-se luz no seu espírito - terás desligado manualmente? "Eu?? nem sei como é que isso se faz..."

Conclusão, era a rodelinha que está à frente no portátil que tinha sido rodada para a esquerda quando eu me enconstava ao aparelho. Duh