12 março 2007

O trabalho liberta

Acabo de ver uma reportagem arrepiante no noticiário da SIC. Crianças entre os 7 e os 11 anos que diziam ter de fazer os trabalhos de casa para ficarem mais espertos, virem a ter bons empregos e terem uma vida boa. A maioria deles diz que não tem tempo para brincar, um deles diz que apenas às 2ª e 4ª o faz, e que além do mais os TPC são sempre mais importantes que as brincadeiras. Quando chegam a casa primeiro trabalhos e só depois, e se sobrar tempo, podem brincar.
Uma menina dizia "com os trabalhos aprende-se muita coisa". "E com as brincadeiras?" "Com essas já não sei"
A um menino perguntavam-lhe quando é que ele ia ter tempo para brincar. Ele parou, pensou e respondeu "quando for grande brinco com os meus filhos".
Um dos mais velhos dizia que a professora marca mais trabalhos quando eles se portam mal nas aulas. Sem dúvida um estímulo ao aumento da produtividade, considerar o TPC como castigo. Eles assim ficam tranquilos como bovinos, a alergia à labuta é que ninguém lhes tira.
Isto não me parece um grande estímulo ao aumento da natalidade. Será que a reportagem foi feita em Auschwitz?

4 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

Lembrou-se do lema 'Arbeit macht frei'?

A santa madre igreja católica apostólica romana exibe uma inspiração semelhante, embora mais discreta, polida pela experiência...

na prise és bestial disse...

admirável mundo novo.
o que estaremos a construir?

8 e coisa 9 e tal disse...

pois claro pirata.

Fiquei arrepiada com aquelas crianças. Alguém que tenha filhos naquela faixa etária confirma que assim é? Ou a escola e os meninos foram escolhidos a dedo para poderem deixar o Eduardo Sá brilhar com os seus doutos conselhos, em voz pausada e sorriso perene?

na prise és bestial disse...

o eduardo sá entrava na reportagem? Belo filme de terror esse: crianças adultorobotizadas e o guru da xis que derrama receitas infalíveis para a felicidade. Do que me livrei...