13 março 2007

Uma inverdade conveniente

Esta semana Nuno Crato no Expresso fala-nos de coisas estranhas em que as pessoas acreditam; detenho-me numa afirmação no mínimo insólita, proferida numa palestra em que se falava de conseguir fazer sorrir moléculas de água.

Foi mostrada uma gota de água, apresentada como sendo "uma molécula". De seguida, a imagem de um cristal de água que seria o que teria acontecido à dita cuja depois de uma amena cavaqueira: estava a sorrir. Queria com isso demonstrar que se as moléculas de água sorriem com dois dedos de conversa, e sendo nós constituídos por 70% de água, basta falar às pessoas para que elas sorriam.
A ser verdade daria pano para mangas; para já, fazer sorrir as moléculas apenas com bla bla bla parece-me demasiado fácil. Se assim fosse, morreríamos a rir com o 70x7, a TV rural, os directos do parlamento e os documentários sobre a fome em África. Já para não falar das gargalhadas histéricas que provocariam os discursos de Fidel (7h horas a falar daria uma alegria suprema ao H2O). Cheira-me que deve ser necessário dizer uma ou duas larachas para que elas sucumbam a esse fenómeno.
Além do mais, a mudança de estado físico de líquido a sólido com a alegria abre perspectivas muito interessantes e alguns perigos.
Por um lado, se assim fosse quem se risse derivado ao sorriso das moléculas de água transformar-se-ia em bloco de gelo, o que seria sem dúvida uma maçada.
Por outro, seria uma forma de combater o aquecimento global; mandava-se o Jon Stewart para o pólo norte e o Ricardo Araújo Pereira para o pólo sul, gritavam um par de asneiras para o oceano e BUM, formavam-se uns fiordes maravilhosos. Adeus degelo dos pólos.
De um ponto de vista mais caseiro, para se ter gelo para gin tónico na ausência de congelador bastaria encher uma cuvette com água e ler-lhe o segundo livro de anedotas do António Sala, ou pô-la em frente à televisão para ver os Monty Python, conforme o grau de exigência artística da fonte termal.

5 comentários:

na prise és bestial disse...

Este texto é terrorismo puro. Quando o acabei de ler, descobri o iceberg que me cresce na ponta do nariz. (ah ganda 8 e coisa, quando te dá a inspiração não há quem te apanhe)

o chofer a dançar com a criada disse...

muito muito muito bom!!! grande texto!!! queria rir-me mas tenho a boca congelada. parabéns!!!

dizia ela baixinho disse...

ó cum caraças, queres ver q tenho tb aqui uma horda de pinguins p enxotar (espera aí q isto pertence a outra história...)?!

Múltipla, simplesmente GENIAL!(brrrrrrrrr, q frio do camnadro q vai p aqui...)!

8 e coisa 9 e tal disse...

Dêem-me uma alavanca e eu levanto o mundo, segundo Galileu. Eu sou mais modesta, basta-me ler um par de parvoíces. Mas também não pretendo levantar o planeta, basta-me o humor de quem lê. Glad to be of service, caras multiplas.

sete e picos disse...

Li e voltei a reler e rir mas só agora comento, está mesmo bom esta dedução lógico-brilhante-que será a solução para o degelo dos pólos.

aquele abraço