05 janeiro 2008

alfabeto numa manhã de sábado

albatroz busca carapau disléxico
elefante fulmina gerânios hesitantes
igreja jovem lamenta matrimónio náufrago
obituário paralisa quezilento rapaz
sandália trepida um velho xilofone zangado

5 comentários:

Anónimo disse...

dasse, ócaralho, tinha que sobrar para mim, e lá vai................

trepidas (ah pois trepidas!) sandália
rapaz quezilento paralisa obituário
náufrago matrimónio lamenta jovem igreja
hesitante gerânio fulmina elefante
disléxico carapau busca albatroz.......

albatroz bobo
cafageste doidivanas
fodilhão gago hesita
incapaz jaz lá
mortífero nu
ólálá
púdica quermesse
rota sandália tresanda a um velho xilofone zanzado


ó albatroz, filho da puta, culpado disto tudo, reza para que o carapau não te encontre primeiro(como é disléxico talvez não....)

:)

8 e coisa 9 e tal disse...

albatroz besunta carapau disléxico
enquanto fodilhão gago hesita
imaculado jamais!
lambe maravilhosas nádegas
ondulam pernas
quando respira sozinho treme:
unamo-nos!
verdadeiro xeque-mate zoológico.

Ou na versão de faca e alguidar:

albatroz baleia carapau disléxico e foge
GNR histérica invade jardim
localizem-no!
mas nada.
o projéctil quando rasgou sobrolho tirou uma vida
xeque-mate zoológico

dizia ela baixinho disse...

versão vegetal do xeque-mate zoológico (ou xeque-mate zoo-vegetal):

alface bêbeda
come disfarçada,
engolindo freneticamente
galega-couve.
hiperventila jacarandá irrequieto
lamentando maçaroca-de-milho novinha (e) opulenta
que regurgitou.
salsa-parrilha tem unanimidade
vomitiva. xeque-mate zoo-vegetal.

sete e picos disse...

antologia breve capaz de equacionar ficticiamente grandes hiperboles, incógnitas, jocosas levanta maçudos néscios ontológicos problemas que redudantes são, questionando unanimidades vencidas. xeque-mate social-demagógico

nove e tal disse...

adorno bate chomsky (em)
debate espistemológico.
falam gloriosamente (do) homem-unidimensional.
já lakatos mimetiza norbert-elias.
olham-se, pasmos, recuando
solipsisticament (com) tão universais 'verdades'.
xeque-mate zoo-intelectual.