30 janeiro 2008

Carnaval

Adoro o Carnaval. Mesmo. Vibro com as músicas, as máscaras, os costumes, os confetis, as serpentinas, tudo e tudo e tudo.

Se houver por aí outras aves raras como eu, deixo-vos uns links com musiquinhas da época que adoro. Seja para brincar ao Carnaval ou, como triste remédio, só para trautear.

http://www.melsonho.com/carnaval/003carnaval.htm

http://www.kboing.com.br/script/radioonline/busca_artista.php?artista=carnaval&cat=music

http://www.miniweb.com.br/cidadania/dicas/musicas_carnavalescas.html

http://www.samba-choro.com.br/noticias/arquivo/8172

12 comentários:

perante o riso geral disse...

Que múltiplas que nós somos. Eu fico levemente enjoada ao mínimo vislumbre das imagens dos desfiles de Torres Vedras e do Rio de Janeiro.

8 e coisa 9 e tal disse...

Calma que nem todo o carnaval é assim!!
O meu sempre foi - e será - muito diferente desses e nunca envolveu tais desfiles deprimentes.
Vendo bem, só mete mascarados (i.e., disfraçados de alguma coisa/alguém, não imitações de participantes nos desfiles do sambódromo), bailarico e partidas mais ou menos inocentes. De preferência em casa de alguém. Uma sociedade recreativa de bairro também serve.

nove e tal disse...

carna...quê?
bleargh!!!

(vou voltar p as termas, q a vida aqui fora anda muito difícil. é o q dá dar ouvidos a uma hipocondríaca de serviço)

ciao. che me ne vado.
e non ritorno piú.
ho detto.

8 e coisa 9 e tal disse...

Bem me parecia que minhas as múltiplas não eram do género de apreciar esta época, para mim tão animada e divertida. É pena. Tenho de vos mostrar todo um lado novo da vida.

manyfaces disse...

Esta múltipla carnavaleira mexe comigo. Ver alguém tão entusiasmado com o Carnaval, que gosta genuinamente daquilo, é quase comovente. Se eu no Domingo acordasse a gostar de Carnaval, vestisse um vestido de bailarina e fosse às compras ao Pingo Doce, quem sabe se não seria um tipo consideravelmente mais feliz.

8 e coisa 9 e tal disse...

Caro manyfaces, bailarina no pingo doce ao domingo de manhã talvez seja um bocado de mais, mas porque não uma das suas happy faces no sábado ou na segunda à noite, com um grupo de bons amigos e muitooooooooooos confettis?? Ou a própria tarde de terça com pistolas de água e crianças e corridas e balões? No domingo ou na terça, (quase que garanto) seria mais feliz! E teria brincado ao carnaval!

Ou

manyfaces disse...

Humm, acho que no meu caso seria preciso mesmo uma terapia de choque. Como em todas as coisas que odiamos ou amamos: para passarmos para o outro lado tem de ser à bruta. A um fumador de 50 anos não basta deixar de fumar, tem de passar a ser pregador anti-fumo. Parece não haver outra maneira de gerir os sentimentos mais extremados. Quando se bate num extremo só se pode regressar com um estrondo.
Por isso digo: uma cura carnavalesca só mesmo com vestido de bailarina no Pingo-Doce ao Domingo de manhã.
Eu quando vejo um cortejo carnavalesco fico com suores frios. Não há tratamentos suaves para coisas destas...

8 e coisa 9 e tal disse...

oooohhhhhh gente que quando se fala em carnaval só consegue pensar nos cortejos da Mealhada!!

O meu carnaval é uma(s) alegre(s) festa(s) temática(s), ao som de algumas das marchinhas que deixei no poste (e valsas, tangos, rocks, fox trots e outros géneros dancáveis socialmente) e com confettis e fitinhas no ar. É coisa que dê assim tantos suores frios ou inspire blearghs??

Experimentem, atrevam-se!!!

no baile da d. ester disse...

o carnaval pode ser muito divertido. era a altura do ano que a minha avó mais ansiava, para poder pregar partidas a todo o tipo de pessoas, que se deixavam facilmente enganar por uma senhora com ar respeitável, vestida de tailleur e com filhas e netas à volta. Desde o truque de dar passou-bens com uma mão falsa e deixar as pessoas penduradas, a aparecer com dentes de vampiro, a atirar sacos de pedrinhas às cabeças dos carecas do balcão do cinema império, um pouco de tudo.

eu achava graça às máscaras, ao poder ser-se uma coisa qualquer que se desejasse. e sim, também me lembro da altura em que os carnavais locais não existiam e a cópia do brasil não passava de um ou outro evento isolado, ao qual previamos morte súbita. Sempre fui má a ler o futuro.

Citadina disse...

Carnaval em Lisboa - não sei se é o caso... - é hoje, na Lesboa Party! Um bocado gay, é certo, mas muuiiito divertida! Festa LGBT hetero-friendly, para variar :-)
http://lesboa.blogspot.com/
Fica a sugestão. O ambiente é óptimo!

no baile da d. ester disse...

será politicamente correcto chamar um bocado gay a uma festa lésbica?

(obrigado pela sugestão)

8 e coisa 9 e tal disse...

D. Ester, eu devia dar-me muito bem com a senhora sua avó!

Não sei se é politicamente correcto, mas com certeza que deve ser verdade o que, nos dias que correm, já não é mau.