02 julho 2008

Ambiente laboral

No meu trabalho partilho uma sala pequena e sem janelas com mais colegas, algumas vezes estou sozinha, mas em geral estou sempre com mais colegas. Outro dia cheguei e estavam lá 3 colegas, uma delas era a primeira vez que nos conhecíamos. Apresentámo-nos, dois dedos de conversa e comecei a escrever no computador. Passados uns minutos diz-me esta colega: desculpa lá a pergunta, mas tu fazes sempre assim tanto barulho a escrever? Surpreendida, fiquei um bocadinho a mastigar a pergunta, mas lá respondi, por acaso já me tinham dito que eu parecia uma metralhadora num teclado, deve ser porque estou habituada ao portátil. Ahh, volta ela à carga, ainda pensei que podia ser do teclado e se assim fosse eu pedia para que te o trocassem. Uns minutos de silêncio, continuo a escrever, um bocado inibida a tentar ser mais suave com as teclas, mas rapidamente começo a concentrar-me no texto e desligo. Ela volta à carga: e quais são os dias em que trabalhas à tarde? Terças e quintas, respondo. Ahhhh, eu também, diz ela com uma voz (e uma cara) claramente desapontada. Depois de outro silêncio, acrescenta, eu ando muito sensível, deve ser da gravidez.
E pronto, lá passámos a meia hora seguinte a falar das crises da gravidez e do caso da mulher que não podia ver o marido durante a gravidez e de outra que não suportava a comida que ela própria cozinhava e de outra ainda que andava obcecada em ir para a cama com o marido da vizinha, até que o futuro pai lá teve que ir pedir ao vizinho que por favor se deitasse com ela que ele estava com medo que alguma coisa acontecesse ao bebé.

3 comentários:

@na disse...

ahahahaha!!! Que bela desculpa para "comer" o vizinho... e com consentimento... ele há homens muito totós...
:DD

p.s. e a série? Já mandaste?

Bjos

8 e coisa 9 e tal disse...

qual série?

no baile da d. ester disse...

também já tive gente a reclamar com o barulho do meu teclanço, era eu uma iniciante no mundo do trabalho e quem reclamou era minha superior hierarquico. Expliquei-lhe que tinha de escolher entre ser incomodada com a minha velocidade de escrita ou a minha ausência de produtividade. Calou-se e passou a trabalhar sozinha no seu gabinete. Isso ou o vizinho saltou-lhe para cima, ficarei para sempre sem saber.