30 julho 2007

Sweet oblivion

Ela ali ao meu lado, a mostrar-me como o mundo lhe parecia todo ao contrário, às avessas, não sabia se torto em linhas direitas se direito por linhas tortas, sem saber como descer, como subir, como caminhar para a frente, trás, lados, sem haver um mapa que a guiasse.
Ela ali ao meu lado, a mostrar-me como era fácil não ser ela ali ao meu lado se fechasse os olhos por um instante e se deixasse levar na corrente daquela brisa que passava pelos nossos cabelos e simplesmente fosse...com retorno, sem retorno, infinitamente solta de quaisquer amarras.
Ela ali ao meu lado prestes a deixar-se cair.
Ela ali ao meu lado e eu agarro-lhe a mão porque sei que ela quer ir.
Ela ali ao meu lado a agarrar a minha mão porque quer ficar.

2 comentários:

dizia ela baixinho disse...

wordless...

quando gosto muito é assim que fico.
belo, belo, belo texto.

sete e picos disse...

Já li e reli este texto. È lindo!